terça-feira, 25 de julho de 2017

ÊXODO

São vários
fuãos pecos

tão pários
quão feitos

pro prão;

vão juntos
mãos juntas

chão lento
grãos secos

pão bento
se não;

mães roucas
cães feios

(não poucas)
dão peito

em vão:

- hão jeitos
(são muitos)

tão vários
quão juntos

pro leito bão.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

PROPOSTA PEDAGÓGICA

eixo temático para estudantes de classe média

O Brasil.

O Brasil moribundo
no meio da sala
estertorando.

O Brasil bode morto
na veia da sala
apodrecendo.

O Brasil malcheiroso
indecente e odioso

o tópico incômodo:

- necessário propô-lo
àqueles do entorno.

NAS REUNIÕES

tipos ideais


1. Diretores
    e feitores
    caçadores

    (pregadores)

    [cobradores]

    {concessores};


2. professores
    e feitores
    pescadores

    (regadores)

    [obradores]

    {confessores}.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

BRINCADEIRA

com Vandecira

Q       U       A       D       R       A

U              eu, tu, nós...............R

A......a sós...............................A

D..................a teia...................N

R.......enleia                             H

A       R       A       N       H       A

terça-feira, 18 de julho de 2017

QUADRA GOLPISTA LXI

a tropilha
milha a milha


As quadrilhas

em matilha

compartilham

maravilhas?...


(galos trocam

balestilhas

na virilha)


(de escotilhas

gatos miam

por camilhas)


(ratas voltam

de mantilha

às manilhas)


(patos vagam

sem palmilha

pelas trilhas)


[cenas sobram
farroupilhas:

penas sopram
de planilhas

trenas cobrem
mais estilhas;

filhos, filhas

penas cobram
à bastilha]


{mãos apertam
gargantilhas?...}

segunda-feira, 17 de julho de 2017

QUADRA GOLPISTA LX

nas redes sociais

Há rachas

borracha

bolachas

(laracha?)

entre muchachos

muchachas

(capachos

capachas

sem facha

escacha);

há cachas

entre quem acha

e tacha

(com taxas?)

e engraxa

tarraxas...

domingo, 16 de julho de 2017

ESTÉRIL


1. O futuro é infinitivo

    já intermúndio

    indeterminado.


2. O passado ao qual te agarras

    gerúndio te amarra

    particípio.


3. O presente obliquas

    pelo vácuo onipotente

    posto à míngua.

sábado, 15 de julho de 2017

TERAPÊUTICA

face às circunstâncias


Solitude

não solidão;

atitude

não inação.


Latitude

amplitude

plenitude.

Invenções? Não.

Convenções. São?


[nem correções

nem corrimões

nem depressão]

sexta-feira, 14 de julho de 2017

PIGS ON THE WING

a Roger Waters


Cães se atacam

mães se atracam

pães estragam;

fãs estranham

(lãs entranham)

nãos entravam.


Porcos moucos
(moncos, roucos):

- sobrevoam.

QUADRA GOLPISTA LIX

a esta altura do estupefato

Pântano
pantanal.

Atoleiro
aguaçal.

Brejo
charco

marnel
paul

lodaçal.

Lameiro
lamaçal;

lamaceiro
atascal;

atascadeiro
tremedal!...

Banhado
volutabro:

- de cabo a rabo.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

ENLACE


Houve quem acreditasse

no trespasse

da luta de classes?


Hoje vemos seus impasses

interface, multiface

além do fugace:


- face a face

(intraclasse)

talvez desenlacem.

QUADRA GOLPISTA LVIII

morou?

Agora, Simão Bacamarte
(Bacamarte por Malasarte?)

ao cumprir seu mister com arte
(malasarte se bacamarte?...)

afinal, poderá descansar.

Tempo fora, talvez a vagar
tempo adentro, talvez devagar

a divagar, talvez divagar...

['será Martha's Vineyard o lugar?']

quarta-feira, 12 de julho de 2017

DA ESFERA

As coisas em volta
pessoas à volta

quando há viravoltas

- se pegas de envolta
(ideias à solta
sem mais giravoltas)

a vida revolta

e contrarrevolta

em reviravolta!...

QUADRA GOLPISTA LVII

a ironia da reforma trabalhista

O trabalho
- o laboral

(que enxovalham

rebotalho
incidental)

quando fiado

[salariado
despendedor]

deu trabalho
adicional

ao capital
acolhedor?...

terça-feira, 11 de julho de 2017

QUADRA GOLPISTA LVI

o temerário adeus


O golpe dentro do golpe
(da trupe dentro da trupe)

o corte dentro do corte

a morte dentro da morte...


[a sorte dentro da morte


qual norte dentro da sorte]

segunda-feira, 10 de julho de 2017

ARBÓREA

Quando cerzida

entardecida

a galharia

escurecida

esconde a vida.

DA BALDROCA

a João do Rio

Às minhocas
intramentais

engenhocas
elementais

da pinhoca
suprarrenal:

- não adernais
mossoroca

ou afundais
pororoca;

não esqueçais
pela boca

capitulais
curiboca

ou ademais...

Exagerais
na fofoca

dos imparciais!

Embebedais
da vinhoca

aos comensais!...

domingo, 9 de julho de 2017

QUADRA(S) DA ESTAÇÃO

procedimento


O inverno

externo

externo

interno.


(o inverno

interno

externo

fraterno)


[o inverno

fraterno

alterno

materno]


{o inverno

paterno

governo

moderno}

DOMINGO II

invernal

O dia tranquilo

(do frio que envia
àquilo que ardia)

à tarde esvazia

(vazio destarte
daquilo que havia)

e à noite comparte
(macio o pernoite)

reparte o que coite.

sábado, 8 de julho de 2017

NA VEIA

criativa?

Um nervo exposto

conservo oposto

meu servo ao mosto:

- gosto protervo

reposto ao servo

(acervo a gosto).

DA COR MAIS QUENTE

trajetória


[eu sou vermelho
de comunista
mas escarlate
fui bolchevista;

coração ruivo
sou sarça ardente
de mente acesa
e ação sanguínea]


[corpo rubente
alma encarnada
(dupla candente)

eu avermelho
de socialistas
quando abrasados
por menchevistas
noutras teorias]


[porque rúbido
(pois rubicundo)

já fui vermelho
do colorado
(hoje corado)

e rubro-negro
de flamenguista
a sandinista]


[sanguinolento
eu sou vermelho
mas sonolento
saiu pau-brasil!

(fui inflamado
a ser fogoso
mas incendiado
eu me assemelho)]


[hoje purpúreo
(por esbraseado)
enrubescido
ruborizado

afogueei-me
engrumecido
em flores afins...

(assim carmesim?)]

sexta-feira, 7 de julho de 2017

QUADRA GOLPISTA MELANCÓLICA

sobre o 'enfim' da força-tarefa de Curitiba


A Lava Jato
caçou seu mato:

- laçou uns patos
avermelhados (?)

laivou-os latos
antes dos dados

cravou-lhes atos
depois dos dardos

lavrou maus-tratos
discriminados

[enquanto aos gratos:

- lavou uns gatos
dos do seu lado

(levou nem autos
quando levados);

cevou o Pato
Amarelado

clavou seus natos
midiotizados].


E quanto aos ratos

(os reiterados
além dos fados)

de encontro aos fatos:

- a Lava Jato
pagou qual pato?...

quinta-feira, 6 de julho de 2017

DO GRAAL

alguns degraus

Do natural
cultural

o que é preciso afinal?

Sol, sal
o fundamental;

vida corporal
sensual

e espiral
espiritual

segundo um ritual
pessoal;

do normal
um percentual

mais o acidental

fatal.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

QUADRA GOLPISTA LV

procuradores


Os caras

às claras

mandavam

às favas.


(os caras

de cara

cederam

às taras)


[os caras

à cata

vararam

as varas]


{os caras

caiçaras

deixaram

coivaras}


[os caras

araras

aguaram

aparas]


(os caras

baquaras

se deram

na cara)

terça-feira, 4 de julho de 2017

QUADRA DO RECESSO ESCOLAR

O intervalo

a cavalo

de um vassalo

no gargalo.

DA PIRÂMIDE AO CASTELO II

obra que não acaba


Eu expresso

(e confesso
- já possesso!)

que o sucesso

do recesso

que atravesso

dependerá do progresso

do processo

deste acesso:

- desse ingresso

(um regresso
mas espesso)

ao endereço em apreço

(o que está impresso no avesso).

...
...

[porque nunca terá preço

recomeço]

segunda-feira, 3 de julho de 2017

QUADRA GOLPISTA LIV

a Paulo Prado


O Brasil

ah, o Brasil
do Retrato...

- vosso Brasil
gentil, servil

febril, hostil

refulgiu.


[desde moça
pátria deles

mãe cansada
pária à vista...

(meã, já basta
à filharada)]


[terra triste
do que existe

desde as glandes
cavaladas

sob a casa
de aba grande]


[deífica
epígrafe

virífera
perífrase:

- mas não aqui
não agora

(não porque a vi
hidrófoba

tão jaburu)]

sexta-feira, 30 de junho de 2017

COSTELA

O que escapa

da janela

pela porta

à socapa

me escalpela

a aorta

solapada...

ORIENTAÇÃO

O caminho

que eu atalho

no sentido

da vereda

tramontana

entre os trilhos

desta senda

tem seu rumo

pela estrada

com destino

que desvia

da direção.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

QUADRA GOLPISTA LIII

Qual quadrilha temeria
multiplicar suas partilhas?

Qual quadrilha temeria
dividir-se em mil quizílias?

Tal quadrilha perderia
seu controle das sicílias?

Vez quadrilha, dançaria
mais junina, mas quadrilhas

até julho, conviria?...

Não parece. De Brasília
a Curitiba, avarias

já provêm suas garantias.

('nossa metodologia
propicia tal teoria')

['quando estamos em vigília
o que nos surpreenderia?']

{'quanto ao nome da família
trocaremos a mobília'}

DA PIRÂMIDE AO CASTELO

do castelo à casa?...

O meu velho novo lar
(de há muito o desperdiçar)

já está pronto pra morar.

Após tanto me alugar
(a renda complementar)

reabrirá o templo solar?

Pois que seja salutar!
- e logo que me animar

um lugar pra vegetar.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

EU

Um homem primitivo

na consciência epifânica
de sua absoluta insignificância

beija o sol

logo cedo.

terça-feira, 27 de junho de 2017

CORPORAL III

Poder
comer

poder
beber

poder
foder.

Poder
dever

poder
correr

poder
feder.

Poder
caber

poder
ceder.

Posso
poder

(posso
querer)

saber
morrer?...

segunda-feira, 26 de junho de 2017

NA CROSTA TERRESTRE

questão didática

Ao fim de um semestre

que tal o trimestre
voou qual bimestre

por que vaga o mestre
(relíquia rupestre)

cansado e pedestre?...

quinta-feira, 22 de junho de 2017

ACHO QUE DEU

às vezes


Meus poemas sintéticos

são poesia esgotada

de um sujeito cansado

pela lida no hábito

que abrevia a palavra.


{meus poemas fonéticos

dão poesia trovada

a um perfeito entronado

nesta vila que habito}


[pela via do dito

orlando o genérico

insignificante]

...

Há fazer a respeito?

(espregunto ao afeito)

terça-feira, 20 de junho de 2017

CANINA

Se gato

ou rato

se nato

ou pato

o fato

do olfato

sem tato

que lato

eu mato

de chato

e a jato

barato!

domingo, 18 de junho de 2017

FACE À LUZ

escolhas

Ao avestruz

face à cruz

sem capuz

nem chapuz

ou alcaçuz:

- o arcabuz

(com truz)

ou o alcatruz

(sem truz).

sábado, 17 de junho de 2017

QUADRA GOLPISTA LII

Joesley


... e o tecido

desde urdido

corrompido


antevisto

repartido

dividindo


e emendado

pressentindo

algo errado


desdobrado

apodrece

trismegisto...

sexta-feira, 16 de junho de 2017

ORIENTAL


Quando o sol evade

por trás do horizonte

da terra que invade


as cores se deitam

do céu mastodonte

no brejo da tarde


enquanto despeitam

(à noite defronte)

do lótus que nasce.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

AJUIZADO

Com pés à mão

as pernas são

(a mente em vão
ao rés do chão)

meu coração.

O braço, dão.

O passo, não.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

FÁUSTICA

Sórdido (o)

mórbido

pórtico

da fama

que afanas:

- órfico

te engana

(inflama

tua gana).

domingo, 11 de junho de 2017

POR UM DESTINO COMUM

aos cosmopolitas de província


Sois um, dois, três

dez, cem mil

convizinhos talvez

de algum Brasil

- mesmo que estrangeireis
mais vosso português.

Brasileiros

sois desejos varões
de projetos verões

nas praias e ruas
luas e guarda-sóis.

Mas quando azeda
o feijão da panela

filistinos

sois ensejos serões
dos trajetos padrões

de viagens, migrações
barões ou viajandões:

- deles a sós

de vós entre nós;

dela, de ti

de vocês por mim.

Pois sim! Há que cuidar o jardim
do devir primeiro

ao retê-lo perfumado
por jasmins-verdadeiros...

[mesmo que impregneis
mais do ideal burguês]

sábado, 10 de junho de 2017

QUADRA FRATERNA

Na caverna

a mão terna

da lanterna

nos governa.

QUADRA GOLPISTA LI

TSE


Ontem era dia.

Eu escreveria

sobre a ironia

de tapeçarias

em tabacarias

e outras ousadias

do que incendiaria

sob a astronomia

das ideologias.


Hoje já podia

(amanhã daria)

- mas por que poesia

sobre estrelas-guias

de ventriloquias

entre carestias?

- entre as barbarias

da nobiliarquia

das velhacarias?...

quinta-feira, 8 de junho de 2017

COMPACTO SIMPLES

disco que não muda


[lado A]

Face à intempérie

nossa subespécie

não é o que parece

do que então carece:

- nem o que aparece

nas tais minisséries

bem do que padece

(toda a sua paupérie).


[lado B]

Nossa subespécie

face ao que acontece

é fora de série:

- do que em vão perece

vende o que em espécie

compra e lhe apetece

até que congérie

(ou desaparece).

segunda-feira, 5 de junho de 2017

AO RISCO

bravura, posture & doçura

A espessura
da mistura

- o que dure
(da fartura)

ossatura -

talvez cure
a amargura

da cultura
que aventure.

domingo, 4 de junho de 2017

ESCLARECIDAMENTE

O processo criativo

- do acesso infinitivo
ao mar subjetivo

num vagar formativo -

no que há de distintivo
(quiçá educativo)

objetivamente
é administrativo:

- embora imperativo
o que adentra opressivo

acendra compreensivo

afora e sucessivo
e comunicativo

respectivamente.

sábado, 3 de junho de 2017

[DUPLA] QUADRA PAULISTANA

Cracolândia


Um perfeito

idiota

o prefeito

iníquo.


[idiota

perspícuo

e iníquo

ubíquo]

QUADRA ANTROPOLÓGICA

Nossa insignificância

face à imutabilidade
do que há em última instância

gera individualidades.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

NOTÍCIA AO VILLA

de ouvir Egberto
neste momento incerto

Meu Heitor
aprendiz

vosso autor
nacional

tão feitor
animal

quão reitor
de um ardor
seminal:

- ó Heitor
teu país

ideal
na raiz

cordial
por um triz

se feliz
caiu mal;

- tropical
teu país

de cariz
inventor

num degrau
capital

a dispor
sai menor;

- ah, Heitor
teu país

tua matriz
desigual

(são brasis
afinal)

de cerviz
vai pior!...

quarta-feira, 31 de maio de 2017

TÃO SOBERANOS

inexplicamos


Aonde vamos

todos humanos

todos os anos?


(todos hermanos

onde arrumamos

todos os amos?)


[muitos tiranos

alguns amamos

(de onde tiramos?)]


{por onde entramos

(planos ou canos)

pouco paramos}

...
...

Todos aramos

todos os danos

todos os anos?

terça-feira, 30 de maio de 2017

EM DEZ ROMANCES


O  sol explode

a tarde de odes

e outros pagodes


à claridade

das realidades

e outras herdades


ao nosso alcance

(talvez da chance

de mais relances


do que se pode

nesta cidade

em dez romances)

segunda-feira, 29 de maio de 2017

DO PRECONCEITO

custo-benefício


Há eventos
(uns nevoentos)

que fomento
sentimentos

complemento
pensamentos

e cimento
ferimentos

(fundamentos
do argumento).


1. O que caço?

(a) concordâncias;

(b) deferências;

(c) importância.


2. O que laço?

(a) contingências;

(b) discrepâncias;

(c) impotência.


3. O que faço?

(a) me lamento;

(b) sopro ao vento;

(c) dou um tempo.


[o que embaço
(e embaraço)

pelo espaço
do antebraço

desse eu-mesmo
contrassenso

que convenço
insuspeito?...]

domingo, 28 de maio de 2017

Poemas na rua

passarela subterrânea 115/215 Norte

"amor
tem que ser
que nem ipê

florescer
toda vez
que parecer
morrer"

JMotter

***

"A vida
é clichê,
o resto
é plágio."

***

passarela subterrânea 111/211 Norte

"Passaria uma vida
ao seu lado,
mas não esta."

sexta-feira, 26 de maio de 2017

SÓBRIA

Sem gasolina

a noite opaca

vem cristalina

sob a casaca

virando a esquina

pela catraca

qual inquilina

urucubaca

sem lamparina

ou jararaca

(terebintina

para a matraca)

[estricnina

fincando a estaca]

quarta-feira, 24 de maio de 2017

QUADRA GOLPISTA L

Esplanada dos Ministérios, Brasília

Lacrimogêneo

vem, homogêneo

o paleogêneo

êneo repressor:

grão exogêneo

cai, pirogêneo

(a olhos gêmeos)

ao sol edêneo...

terça-feira, 23 de maio de 2017

INERCIAL


O que levantas

depois te deita.


(porque te lança

antes se queixa

do que recantas)

.

O que se avança

dura a carreira.


[ante colheitas

por que desanda

depois barreira?]

..

{porque não andas

então te deixa}

segunda-feira, 22 de maio de 2017

QUADRA RESISTENTE XXXIII

pelos netos


O que será de vós

amores, amigos
parentes, vizinhos

colegas, padrinhos
parceiros de ofício

de país, filhos, avós?

- de alguém inimigos?...


O que haverá de nós

cidadãos, patrícios
patrícias, maurícios

irmãos no destino
de alguns sacrifícios

se números primos?

- se estivermos a sós?...

domingo, 21 de maio de 2017

sábado, 20 de maio de 2017

QUADRA GOLPISTA XLIX

a mídia racha
em sua imperícia


De um lado, a máfia
televisiva;

de outro, as empáfias
decadentistas:

- ambas as rábias
pós-factícias

surtando éticas
pré-fictícias

opositivas?...

...

[agora, o racha
entre as famiglias

aponta a taxa
cobrada à mídia

por igual trinca
entre partilhas:

- (da contramarcha
intransitiva)

sua travessia]

sexta-feira, 19 de maio de 2017

QUADRA GOLPISTA XLVIII

aos manos, manas
em suas choupanas


Nesta semana
de mais campanas

as ratazanas

(na porcelana
das venezianas)

trocam membranas.


[há caninanas
em caravana

pelas aduanas]


{segue a gincana
branca e mundana

(mas mais sacana)}

quinta-feira, 18 de maio de 2017

QUADRA GOLPISTA XLVII

e agora, Michel
Aécio, manés?...

O castelo que havia

- de cartas à deriva
ao vento, à revelia

à venda por gratuitas
(dadas que pervertidas) -

desabou narrativas
controles, tratativas

zelotes, moralistas
mouros oportunistas

louros de aleivosias
e outras hipocrisias

(dos arrimos que havia)

sem condução prevista
nem solução à vista.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

DOS ADIAMENTOS

do clima adentro


Meados de maio

- e a dezenove

ainda chove

sem que renove...


São velhas nuvens

tolhendo o ensaio

das flores jovens


(a vinda a jaio

das que perfumem

o que se prove)

terça-feira, 16 de maio de 2017

QUADRA GOLPISTA XLVI

da atuação judicial


(a pressa

depressa

apressa)


(a pressa

depressa

acessa)


(a pressa

depressa

ingressa)


(a pressa

depressa

processa)


(a pressa

depressa

apresa)

...

{depressa

a pressa

excessa}

...

[a pressa

possessa

remessa

homessas]


(depressa

a pressa

represa)


{a pressa

compressa

confessa

travessas}


(egressa

a pressa

empresa)


[a pressa

sem pressa

expressa

promessas]

...

(a pressa

regressa

avessa)

segunda-feira, 15 de maio de 2017

QUADRA GOLPISTA XLV


O tecido social
(o factício)

esgarçando, bestial
(por fictício)

faz de cada, parcial
um desperdício:

- matéria imaterial
seu sacrifício.


[se é grátis, comercial
qual artifício]

[se comércio, filial
empregatício]


[a paróquia mundial
(mau exercício)

no mundo paroquial
de alguns patrícios]


{ao final, afinal
por que o suicídio?...}

domingo, 14 de maio de 2017

QUADRA DAS TREVAS

antes das cruzes


A noite avança

em suas usanças.


Noite se dança.

Noite se lança.


Se como dança

pelas tardanças

a noite avança

contra mudanças

(ambas lembranças).


Se como lança

pelas heranças

a noite avança

(de sua possança)

quaisquer vinganças:


- contra a abastança

das vizinhanças

em segurança;


- contra quem trança

das desconfianças

desesperanças;


- contra o que afianças

à semelhança

de governança.

...

[a noite aliança

as suas balanças]

quinta-feira, 11 de maio de 2017

QUADRA (CONTRA)GOLPISTA

em Curitiba?


Do encontro de ontem

(extraordinário)


[entre o Político

e o Partidário]


virá o Direito

a socorrer-nos


ou a Justiça

desmascará-lo?

terça-feira, 9 de maio de 2017

QUADRA GOLPISTA XLIV


Saárico

lotárico

barbárico

o período que cruzamos

a intervalos

dos vassalos

a cavalo

(a travá-lo).


[diariamente

mensalmente

anualmente

(atrasá-lo)

do período que terçamos

contra os amos]

sábado, 6 de maio de 2017

CADELA ENTUBADA

parafraseando Vinicius de Moraes


A tevê de tela plana

de quarenta polegadas

com assinatura a cabo

internet e mil canais


- é a melhor amiga do homem velho.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

DA DIGESTÃO

A tarde

(beleza
covarde)

à mesa

vem tarde

porque arde

molezas

retardes;

porque arde

franquezas

[à parte as
vilezas]

{saudades
das presas}

segunda-feira, 1 de maio de 2017

AOS PRIMEIROS DE MAIO

Comemoremos o dia dos explorados
dos esfalfados, oprimidos, humilhados

ao lembrarmos, evocá-los, recordando-nos
por menor que seja o esforço (e maior o dano)

o que afinal somos todos: seres do barro
primordialmente destináveis ao trabalho

de dar trabalho àqueles do bairro que se acham
de algum modo merecedores de outros laivos

exclusivos - sem vestígios daquele barro.

Junto aos distintos que ressentem diferentes
de alguma maneira notável, insignes

exercitemos - quem puder! - nossa empatia
por ignorarem (mesmo covardemente)

que adicionar água, ao pó basta, simplesmente.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

QUADRA RESISTENTE XXXII

da greve geral


No dia de hoje

tempo não houve

(não houve o tempo).


No movimento

vento não coube

até o momento.


O que se soube


aqui de dentro

ali no açougue

e lá no centro


[de zés-das-couves

sobre epicentros

trabalhadores


de sentimentos

planejamentos

procedimentos]


ainda se ouve

tarde da noite:


- o dia de hoje

o que nos trouxe


mereceremos.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

QUADRA MOMENTÂNEA

São dias sem poesia

dias cheios da vida:

- penas do que faria

plena, apenas a lida.

sábado, 22 de abril de 2017

DA ILUSTRAÇÃO


Há o sol que brilha

o céu que infinda

e nuvens cinzas.


Eu distingui-los

categorias

da mesma vista

(abstraí-los)

significa

o quê da vida?...

sexta-feira, 21 de abril de 2017

PASTORAL COM PATROL

Do arrebol
vesperal

(meu crisol
habitual

meu graal
caracol

meu terçol
cultural)

[afinal
urinol]

vem o sol
digital

(meu farol
outonal)

quinta-feira, 20 de abril de 2017

QUADRA GOLPISTA XLIII

lembrem-se da água de Cochabamba

O caos convém
aos que detêm

mas um porém:

- forçar a mão
de sua paixão

por mais milhões
como tostões

(decerto o são)

contra milhões
de outras razões

dá certo não.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

segunda-feira, 17 de abril de 2017

QUADRA GOLPISTA XLI


O caos convém

aos que retêm
(dos que detêm)

ou que obtêm
mais do vaivém.


O caos convém

aos que advêm
(dos que abstêm)

e aos que entretêm
com seu desdém.


[o caos provém
deles também]


{o caos contém
outros além}

domingo, 16 de abril de 2017

ATÉIA

A páscoa

de boa

à toa

sem noa

coroa

e escoa...

ÀS PORTAS DO MARAVILHOSO


Caroço

calango

(esboço

candango)

qual moço

fandango

(pescoço

de frango)

eu ouço

um tanto

alcouço

dois tangos

três tangos

- o tango!...

...

[com Astor

(e um pango

ao dispor)

retouço]

sábado, 15 de abril de 2017

ASSIM ANDAMOS

e um pouco ousamos


(pernambucano
interiorano

logo migrando
necessitando)


(depois urbano
são-paulistano

mas suburbano
abecedano)


(depois humano
organizando

os mais humanos
politizamos]


[abecedamos
organizando

[repaulistamos
representando

[transbrasiliamos
nos liderando


e mais humanos

imaginando
um mundo sano

globalizamos]


{localizando
comunicando
humanizando

encaminhamos}

sexta-feira, 14 de abril de 2017

MEU AZUL

deus do céu


este azul

cobalto

basalto

de asfalto...


(quão azul

por alto

do lauto

planalto)


[tão azul

pernalto

que o salto

incauto]


{vão azul

que pauto

do arauto

que falto}

quinta-feira, 13 de abril de 2017

QUADRA TONAL

O azul

paul

no soul

é blue.

REPTILIANA

elogio à sobriedade
de Carlos Drummond de Andrade


Nossa subespécie
quando causa espécie

por efemérides

(pelas hespérides
dentre os espécimes)

tão impositivas
quanto relativas

- soa impretérita
espécie emérita.

Porém quando ninguém
vaivém olhando alguém

- o que há sob o verniz
(quiçá sob a cerviz)

que parece raiz
mas cresce cicatriz

mais celebrativa?...

segunda-feira, 10 de abril de 2017

QUADRA GOLPISTA XL

aos inocentes úteis à quadrilha, à camarilha
(pela escotilha)


As pessoas
que ressoas

são de proa?

Vão à frente

dando a cara
de presente

quando a barra
pesa rente

junto à gente?

As pessoas
que ressoas

tão valentes
de repente...

...

(as patroas
que ressoas

tão varoas

são leoas
protetoras

dos parentes?)


[a coroa
mais à toa

que pavoa
amontoa

abençoas
inocente?]

...

Tais pessoas
(porque assoas!)

são de proa

- mas da popa?

Quão da popa
submersa

em conversa
com abismos

que nos moam
e nos coem

de outros ismos

sob este mar
a naufragar?...

...

{somos patos
de gamboa

que alagoe
sem canoa

insensatos

como os fatos?}

domingo, 9 de abril de 2017

terça-feira, 4 de abril de 2017

QUADRA GOLPISTA XXXIX

sobre o assassinato, pela previdência, de uma flor inculta e bela


A fundamentalidade

da vossa abestalidade

tem a potencialidade

de uma generalidade:

- nossa aniquilacidade.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

QUADRA GOLPISTA XXXVIII

dialética

O tempo segue apodrecido
dos seus desdobramentos idos

- especialmente os concorridos
aditamentos fictícios.

Mas de tais adiamentos, vindo
nas dobras do que desmedido

desdobra-se mais desmentindo
(o logro logo cristalino)

outro tempo a caminho, indo

no seu compasso feminino
por entre custos-benefícios

há de evitar o precipício.

sexta-feira, 31 de março de 2017

QUADRA GOLPISTA XXXVII

virou o fio

Vosso simão bacamarte

(jabuticaba destarte
de uma Pindorama à parte)

ao sair porta-estandarte

de uma justiça à la carte
(seu caricato baluarte)

fez tantas e quantas artes

além das cinzas do aparte
(do devido a contrapartes)

[indevido a quem comparte]

que pensam enviá-lo a Marte
numa nave que o descarte.

...

Caro simão malasarte:

- quem irá enfim fritar-te?

quinta-feira, 30 de março de 2017

NO GUICHÊ

Cacos, pedras, cascas

(ao escorregares)

são o que descascas

quando regulares

sobretudo as lascas

(nos mais populares)

do hábito, costume

(entre mil tapumes)

de próximo o estrume.

DESTA SUBESPÉCIE


Nascemos

mamamos

cagamos

crescemos.


Adolescemos

acreditamos

amotinamos

retrocedemos.


Adulteramos

correspondemos

readaptamos

reproduzimos.


Madurecemos

repaginamos

envelhecemos

tremeluzimos.


Apodreçamos.

domingo, 26 de março de 2017

NA PÓS-EDUCAÇÃO

contemplação


A sala

vazia

carcaça

sombria

desmembra

sozinha.

Deslembra

que havia

profundo

na guia

um mundo

de dias

que espaça

vizinho:

- são luzes

na noite

velando

seu norte

cuidando

de aportes

dicando

na treva

da sorte

que fosse.

QUADRA DA SÉTIMA MANHÃ

No sábado

descansada

a luz deixa

a alvorada.

QUADRA DO SÉTIMO DIA

No sábado

horizontal

a luz deita

o olho afinal.

quarta-feira, 22 de março de 2017

DO ATUAL CONTADOR ANCESTRAL

contínuo


Sábados

segundos

das terças

(o normal);

domingos

quartados

das sextas

(o ideal);

feriados

à beira

dos quintos

(afinal)

consigo

fecundo

no ábaco

digital.

terça-feira, 21 de março de 2017

QUADRA GOLPISTA XXXVI

pequeno desagravo a Eduardo Guimarães


Nosso savonarola

hoje deu de papola
ao sacar sua pistola

resservida à corriola:

- dividindo de sola
outra perdida bola

vosso savonarola
(sobre o muito que viola)

muda mouco de escola...

segunda-feira, 20 de março de 2017

QUADRA RESILIENTE

recordando Euclides da Cunha


Nós somos um país

de elites predatórias

e classes médias imbecis

renegando os múltiplos Brasis.


***

[nossas chances de história
(de virar essa estória)

virão da dita escória

corja/súcia/gentalha
malta/turba/escumalha

amassada argamassa:

- a plebe/o povo/a ralé
numa direção do pé]

domingo, 19 de março de 2017

Paraninfando em tempos sombrios

(na formatura do curso de Jornalismo do Centro Universitário de Brasília, anteontem)


"Senhoras e senhores aqui presentes,

Boa noite!

Fui convidado pela turma de Jornalismo desta formatura para ser seu paraninfo. Os dicionários, em geral, registram dois significados básicos para esta palavra.

No primeiro sentido, paraninfo significa o indivíduo escolhido pelos formandos para ser homenageado por eles na sua cerimônia de colação de grau. No segundo sentido, paraninfo significa o indivíduo capaz de defender ou apoiar uma ideia, uma tese, uma causa. Nos dois casos, o paraninfo tanto fala para os formandos quanto fala pelos formandos, nesta ocasião especial que é a sua formatura. Isto é o que pretendo fazer agora.

Começo pelo primeiro significado do ser paraninfo. Inicialmente, gostaria de agradecer aos formandos a honra que me concederam. Foram três anos e meio de convivência intensa, com os altos e baixos típicos das relações prolongadas, complexas e difíceis. Ao final, o que de fato importa é que vocês concluíram essa trajetória com sucesso, sendo esta a razão de estarmos aqui, celebrando juntos o triunfo de vocês.

Importa também reconhecer, e agradecer, o apoio inestimável que vocês tiveram dos familiares, dos amigos, e das demais pessoas que estiveram com vocês durante esse processo. Muitas vezes, falhamos em reconhecer devidamente o papel das pessoas que nos amam para o nosso sucesso; especialmente as pessoas que se fazem presentes nos momentos difíceis. Quando vencemos, tendemos a achar que o mérito é individual, diminuindo a importância do chamado 'entorno' para a nossa vitória. No entanto, as pessoas que bem nos cercam - na família, na escola, na vida - são fundamentais. Elas são sempre fundamentais.

Por isso, parabéns aos pais, familiares, amigos e amores destes formandos! Parabéns aos professores e funcionários do UniCEUB envolvidos com a formação desta turma! Parabéns a todos que participaram, de alguma maneira, deste processo bem-sucedido!

Pois bem. Passo agora ao segundo significado do ser paraninfo. Se nesta noite falo para os formandos e pelos formandos, a única ideia que neste momento me cabe defender é a do Jornalismo, a ideia do melhor jornalismo - aquele jornalismo que cumprirá aos formandos desta noite, a partir de amanhã, realizar. Este é o jornalismo que eles, em tese, aprenderam na faculdade. Também é o jornalismo afirmado e reafirmado nas centenas de códigos de ética jornalística que apareceram nos últimos 120 anos, em diferentes lugares do mundo.

Serei objetivo.

O melhor  jornalismo é aquele que tem como base o direito fundamental do cidadão à informação de relevante interesse público. O exercício deste direito - e portanto, deste jornalismo - não pode ser impedido por nenhum interesse menor, particular ou privado.

O melhor jornalismo é aquele comprometido com a verdade factual, de relevante interesse público. Para que este compromisso seja realizado, as respectivas liberdades de expressão e de imprensa, direitos e pressupostos do exercício do jornalismo, implicam compromisso com a responsabilidade social do jornalista, inerente à profissão. Tais compromissos não podem ser impedidos por nenhum interesse menor, particular ou privado, corporativo ou partidário.

O melhor jornalismo é aquele comprometido com as condições estruturais e conjunturais que lhe dão sustentação, as quais, por sua vez, são sustentadas pelo melhor exercício deste jornalismo. Ética, liberdade, responsabilidade; compaixão, sensibilidade, humanidade; respeito à pluralidade das opiniões e perspectivas; respeito à diversidade dos modos de vida. Compromisso com direitos e deveres que só se realizam plenamente no âmbito da democracia.

O melhor jornalismo é aquele que defende a democracia, porque dela depende visceralmente. No nosso caso, o melhor jornalismo é aquele que defende a nossa democracia - seus valores, suas instituições, e as práticas democráticas da cidadania. Vivemos um período histórico no qual a nossa democracia, tão duramente conquistada, se encontra ameaçada por interesses menores, mas poderosos, neste exato momento empenhados na revogação dos nossos direitos civis, políticos e sociais. Como a história reiteradamente nos tem mostrado, quem acabará pagando mais por isso serão aqueles menos favorecidos, mais vulneráveis, e portanto com menos condições de se defenderem.

Num momento como este, o melhor jornalismo é aquele que defende os interesses mais importantes do conjunto da cidadania. O exercício deste jornalismo é o que, de coração, eu mais desejo a vocês, queridos formandos e formandas!

Porque dele muito precisamos.

Parabéns e muitas felicidades!

Obrigado."

segunda-feira, 13 de março de 2017

QUADRA GOLPISTA XXXV

dos medos de demos

Há um fantasma no palácio
de alvoradas no planalto

entre fantasmas à feição
dos ferecrácios de ocasião:

- ectoplasma cidadão
(o demo, dizem por alto)

que assombra outra assombração.

...

Mas o que é tal espectro
se mal rima com 'plectro'

face ao abantesma em versão

de carne, no osso, de plantão
(da sua laia silectro)

que insiste em morar onde não

- em demorar nossa aflição?...

domingo, 12 de março de 2017

DA GRATIDÃO

A velhice

chega logo

se arrastando

sobre o fogo

não tão brando

da crendice

de que o jogo

terminando

foi tolice.

sexta-feira, 10 de março de 2017

quinta-feira, 9 de março de 2017

terça-feira, 7 de março de 2017

segunda-feira, 6 de março de 2017

EPICURISTA VIII


Eu empurro para amanhã

o que posso fazer hoje

a fim de aprazer a manhã

ensolarada que foge.


(ele ocupa com presentes

imaginativamente

entrementes o presente

mas imaginariamente)


[desocupa o que é evidente

de heranças e esperanças vãs;

de hojes de ontens e de amanhãs

contratempos condicionais]


{alivia o que é pendente

porque fino fio tênue

dependura dores e elãs

contraventos adicionais}


Neste fino fio tênue

- onde a vida equilibrista

pede a mim que continue -

vivo a minha trapezista.


(talvez peixe que se deixe

que se deite numa rede)

RETRO ESPECTRO


Eu não sabia

que em vão sabia

se não queria;


porque seria

serões de dia

parques de noite


verão que eu via

verões que havia


e todavia


senões e açoites

filões e guias;


e agora à noite

tarde na vida

cedo curtida

(ora curtida)


sei que podia.

sábado, 4 de março de 2017

quinta-feira, 2 de março de 2017

COFFEA ARABICA

declaração de amor


Meu café

de preto, pobre, puta, ralé

faz com que eu tenha fé.


Meu néctar, a pé

anda, corre, nada, voa até

batoré.


Barnabé

meu café dispensa rapapés

porque de nascença

sua onipresença

na nossa potente consciência

das marés.


Capilé

meu café me pensa em canapés

porque de boa-fé

aquela que cheira

à cafeteira da minha sé:

- evoé!

quarta-feira, 1 de março de 2017

CINZEIRO

carnavalesco


[tumular

o avatar

devagar

a amuar


'de foder

o poder

do prazer

desfazer!'


ao nadir

coincidir

ir e vir

ao luzir


estertor

como o ardor

sem humor

do pudor


findo o tour

pelo alhur

mas adur:

- deleatur!...]

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

CARNAVAL V

No fundo, a nossa alegria

(por_vir da periferia

de_vir da cidadania

ou_vir mais do que queria
poderia, deveria)

é a vossa melancolia

[de ideologia sombria].

...

{no raso, aquela alegria

(a sua irônica harmonia

hedônica euritmia

sônica sabedoria)

é a vossa mercadoria}

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

CARNAVAL IV

O Pierrô
qual retrô

manequim;

bibelô

o Arlequim
anequim;

Colombina
gasolina

pivô ioiô...

Fantasias
inquilinas

da rotina
dos baldaquins

quais bisavós
de paletó

na surdina
dos botequins;

quais bisavôs

nas esquinas
tupiniquins

babalaôs...

sábado, 25 de fevereiro de 2017

CARNAVAL II

repressiva

Juntar gente
e mais gente

toda gente
papa-gente

tudo gente
mar de gentes

diligentes
negligentes
indigentes
plurigentes

difringentes
refringentes
divergentes
convergentes

brava gente
afrogente

branca gente
multigente

- afligente
pede agentes

(mais agentes
detergentes)

do vigente
infringente.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

CARNAVAL


A noite primeira

(já de bebedeira)

a sexta aprofunda

porque arde solteira

minha dandalunda...

...

...

[mas até segunda

(a outra segunda

já sem barafunda

já com cavaqueira)

cairão de pulseiras

marias-segundas

pela cabeceira]

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

QUADRA GOLPISTA XXXIV


Mais um supremo impostor

(o jurisperito ator

da farsa sobre o gestor)

ao vosso inteiro dispor;


outro pseudo-doutor

(copilador, plagiador

sumo falsificador)

ao vosso senso de humor;


qual pau-mandado feitor

procurador pescador;

encontrador coletor

do pau-mandante favor;


um elemento menor

do nosso vivo pavor;

supremo exemplo fiador

do vosso circo de horror.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

AMNÉSICA II

fragmento

Pontas soltas

do tecido

de cor lilás

(vetusto, aliás)

puxam voltas

do ocorrido

anos atrás

(sob aguarrás)

QUADRA RESISTENTE XXXI

àquele cujo espírito realçou a mediocridade alheia


Querido Raduan Nassar:

- seu copo de cólera
sobre a lavoura arcaica

dos donos do lupanar

pedia uma ópera
contra a arte prosaica

da vida farisaica
dos prontos para alugar

tal república laica
que triste coopera

e em riste nos opera
colonos de outro lugar.


[querido Raduan Nassar:

- quem somos para olvidar
romper o que precisar?]

domingo, 19 de fevereiro de 2017

DELUSÃO

Por que o mar
do verão

longe a dar
no sertão

do meu bar
miramar

pode não?

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

PRAGMATICUS

a Michel de Montaigne


O tempo da subsistência

(inevitável)

como espaço de coexistência

(inseparáveis)

é contratempo da consciência

adaptável.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

MÚSICA DA MEMÓRIA

1970s

Um caminho para o passado

- no seu seletivo translado
da coisa vária sob fiança

o que é melhor pavimentado -

retrilha sonora a esperança
pretérita, prévia ao seu fado

benemérito fardo - herança
musicada de uma lembrança

velha da adolescente criança.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

REFRESCO

Domingo

recolho

respingo

no olho

do fundo

moringo

do mundo.

SOBRE UM DEVER

contrapoder


Este momento em que escrevo

descrevo como o tormento

de um movimento medievo

- e eu frevo sob o cimento.


Deste momento descrevo

seu pardacento relevo

(tal como o enlevo alvacento

de um trevo sobre o cimento).


Neste momento em que escrevo

contra o tormento me inscrevo

porque devo um argumento

contra o vento, o tento, o assento

- o amaneiramento sevo

coevo de um cevo longevo.


[sobre o que levo cinzento

argumento porque devo

- porque, motevo, eu atento

seu movimento malevo]

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

SINCERAMENTE

Não há beleza

na aspereza
da natureza;

na estranheza
da redondeza;

na esperteza
da sutileza;

na agudeza
da profundeza;

na singeleza
da incerteza

de madureza.


[só há certeza
de sua presteza]

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

QUADRA GOLPISTA MIDIÁTICA

síntese

O golpe do golpe no golpe

(trigolpe da troupe no tope

do cinemascope ciclope)

o ibope envelopa a galope.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

SE


devida

a vida

devida


com sorte

a morte

consorte


(a vida

à morte

vencida)

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

QUADRA GOLPISTA ALEXANDRINA

nas alfombras do STF


De goga

a sombra

se joga

à sombra.


(à soga

assombra;

à sombra

revoga)


[teiroga

prolonga

a lombra

em voga]


{assombra

(e assopra)

a compra

da toga}

domingo, 5 de fevereiro de 2017

MOSCA

[a morte
repousa
na sorte

como um
ímã de
geladeira]

CARROSSEL

sábado

domingo

segunda


bêbado

dormindo

pergunta


qual sexta

a tempo

secunda?


(qual sonho

avento

verdura?)

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

A BASE DO INÍCIO

a Marisa Letícia Lula da Silva


A costura

da bandeira

do partido


se afigura

mensageira

de um destino


(configura

-se parteira

do caminho)


[transfigura

a fronteira

do vivido]


{prefigura

a maneira

do carinho}

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

QUADRA NEOGOLPISTA

o aggiornamento agora é outro


Ouço os cães.

E os gatos?


Calam mães

pais, patos;

outros cães

dão gato:

- capitães

no mato;

- capelães

no trato;

- cirurgiães

mediato;

- escrivães

a jato;

- charlatães

ademães

barato...


E os fatos?

QUADRA DO NANÁ

a Naná Vasconcelos

A batucada clara

daquela mão escura

antes à alma aclara

depois ao corpo cura.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

QUADRA GOLPISTA CIRCULAR

síntese

O país segue à deriva
do país do qual se esquiva

derivado da saliva
esquivante de convivas

salivados parasitas
convidando epidemias

de cívica letargia
e política anomia

pela via entreguista
da vida sem autarquia

no país do qual se esquiva
tal entreposto à deriva

[o país posto o confirma]

TARDE NO MAR

Esta tela
amarela

sobre a barra
causticante

cobra à praia
que aquarela

(um instante
descoberta)

logo adiante
caravela

cefaleia.


[garateia
de cadeias

das sereias
dulcineia

que me enleia
a cappella

lancinante]

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

SER PELO SER

ter ao dever

O estado negativo
(administrativo)

do eu subjetivo
(dado que relativo)

agora impeditivo
(pois a dever ativo)

doeu substantivo
depois de ver passivo

outro respectivo
outrora compreensivo

- portanto objetivo
cortando sucessivo...

[embora coletivo
demora compassivo]

sábado, 28 de janeiro de 2017

PARAQUEDISTA


O que acontece

quando alguém tece

o que coalesce?


(o que amanhece?)


...


O que acontece

quando alguém desce

no que coalesce?


(o que se esquece?)


[logo entardece?]

{tarde anoitece?}

SIAMESES

O mistério
da poesia

faz poesia
do mistério

(cortesia
da ironia)

[do cautério
refrigério]

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

NA ILHA FISCAL

9 de novembro de 1889


Sai um paquete
de manteletes

para o banquete.

Eu de colete
e algum topete
pintalegrete;

tu de corpete
sob o casquete
com ramalhete.

Tens o bilhete?

Siga o falsete
dos clarinetes;

tens dezessete?
Fica o lembrete...

...

De braceletes
(e outros dobletes)

cai mais sorvete

sobre o tapete
de manteletes

no gabinete
do palacete.

(num tamborete
pelo boquete

miro o banquete
que se comete...)

...

Corre um filete
sob o barrete
de um dos grumetes

que compromete
seu voltarete
com dois ginetes;

foi canivete
ou ricochete

ou cassetete
pelo piquete?...

...

No teu corpete
rompe um colchete

(faltam mais sete
mil alfinetes);

a mim prometes
assim coquete

- tens dezessete?...

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

DE TODA QUADRA GOLPISTA

parva, cinzenta, nociva

Quando a noite predomina
preterindo a luz do dia

não é mais noite que brilha
da clara causa que tinha.

Quando a noite prepondera
de uma a outra atmosfera

não é mais noite que espera
a sua aurora primavera.

(não é mais a revisita
que bem-vinda nos faria

pressentir as maravilhas
das manhãs que descortina)

[menos ainda a notícia

de que uma vez descoberta
(por ser a vida obra aberta)

traria o dia à noitinha...]

...

Quando a noite assim domina
preterindo alternativas

(mormente as alterativas)

cedo ou tarde desespera
de si magna caterva:

- o que ao tempo paralisa
(e rebenta prosseguida)

brilha a treva à luz dos dias...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Do meu tio-bisavô, candidato

eleito, desistiu do mandato

"PROPAGANDA ELEITORAL

Meu caro Coronel Martins Ferreira,
candidato extrachapa a deputado
ao congresso da Câmara Mineira,
desejo ser aí o mais votado.

A minha fé de ofício é de primeira.
Vale por um programa o meu passado,
e no congresso não direi asneira
todas as vezes... que ficar calado.

Fui caixeiro, depois fui negociante,
e do torrão natal, representante,
agora aspiro a ser como escrivão;

e, eleito, espero, mas que maravilha!
ser pai da Pátria e receber da filha
todo o subsídio, quer trabalhe ou não..."

Belmiro Braga [1872-1937], "Propaganda eleitoral". In Livro dos poemas: uma antologia de poetas brasileiros e portugueses. Organização de Sergio Faraco. Porto Alegre: L&PM, 2009, p. 299.

SOMENTE NA LETRA 'A'

pretérito presente indicativo de sujeição


assustamos

afinamos

aceitamos

acatamos


adequamos

abonamos

ajoelhamos

assentamos


apoiamos

apontamos

atiramos

arrastamos


acentuamos

afogamos

afundamos

atenuamos


(pelos amos)

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Soneto clássico de um certo tipo

por Aloísio de Carvalho (1866-1942), poeta e humorista
baiano, observador atilado da nossa realidade

"ADESÃO

Eu adiro, tu aderes, ele adere.
Todos nós aderimos prontamente,
a questão é ficar comodamente,
sem perder os proventos que se aufere.

O que se fez, está feito. Derramar
sangue, por causa disto, é insensatez,
desde que, para mostrarmos altivez,
basta a prosa da sala de jantar.

Quem tem mulher e filhos, meu amigo,
não ser prejudicado ao mais prefere.
Vir pra rua brigar - não é consigo;

em conflitos assim não interfere;
por isso, nos momentos de perigo,
eu adiro, tu aderes, ele adere."

Aloísio de Carvalho, "Adesão". In Livro dos poemas: uma antologia de poetas brasileiros e portugueses. Organização de Sergio Faraco. Porto Alegre: L&PM, 2009, p. 294. 

QUADRA GOLPISTA RENOVADA

Teori

Num serão sem avisar
um avião caiu no mar

vitimando alguns verões.

Intimando outros senões
deslocados ao planar

decolou um mar de aviões:

- mil gaviões a sobrevoar
o mar de conspirações;

- cem barões a celebrar
do bar absolvições?...

...

O que há pra desafogar
além de especulações?

[a bem do mar desfrutar
seus larápios e catões?...]

sábado, 21 de janeiro de 2017

PEDAGÓGICAS

É concessor
o professor

do confessor
antecessor?

E repressor
o professor

que sucessor
de um estressor?

...

Se obsessor
ser possessor?

...

O professor
de um opressor

pode assessor?

[quer-se sessor

tal professor
qual agressor?]

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

DO 'COMPLEXO DE VIRA-LATAS'

a Nelson Rodrigues

Um cavanhaque
sob um conhaque

de passamaques
sobre os escaques

e algum sotaque
(talvez o fraque)

pungindo a claque
pro contra-ataque:

- todo basbaque
lês almanaques;

todos achaques
vês com destaque;

e os atabaques
soltando traques

dão-lhe outro baque...

...

Os de sotaque

pelos bivaques
dos de caiaque

dobrando raques
(cobrindo o saque)

crês que são craques!

- qual tu, basbaque
tudo de araque!...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

DO CUSTO DAS FÉRIAS

por doze misérias

O mês de janeiro
provir do que lembro

em vez de maneiro
(por vir de dezembro)

perdura no peito
tão fátuo que enjeito

seu vácuo desfeito
já sem fevereiro:

- porvir de um manembro...


[um mês de janeiro
pelo que relembro

talvez de proveito
mais cabe ao sujeito

com cartão de membro
(mas desde setembro)

que viaje direito:

- enfim sobranceiro
de ir brigadeiro]

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

AQUAPLANADA


A cinza capa

acima empapa

sua aba d'água

e o que lh'escapa

desmoronada

...

[desidratada

não me diz nada

que eu já não saiba

que abaixo caiba]

ASTERISCO

O presente
aparente

- seja ponto
linha, risco

quina, canto
pedra, cisco

contraponto
chamarisco

assim pronto
assaz prisco -

não se rende
tão assente.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

NA MORAL

A moral
é fiação

amoral
de um padrão

funcional
de coação

imoral.


[ancestral
expiação

corporal
de varões

(se vilões
de aldeões)]


{magistral
solação

patronal
da ração

laboral}

sábado, 14 de janeiro de 2017

DEVANEIO

fragmentos


desmaias

nas tardes

de maio

(contavas

destarte

com maio)

...

- noivavas?

- casaras?

- alfaias?

Vão tarde

os gaios

das aias...

...

...

[mais arde

o alarde

lacaio

do ensaio

covarde

dos jaios]

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

NA DIOCESE

sexta 13

Catequese
de uma tese:

- exegese
maionese

que histerese
sua antese.

NA ERA DA PÓS-VERDADE

sobre um artigo de Gabriel Priolli

Que verdade o jornalismo
avestruz desalentado

(dado o seu imobilismo
a precipitar o abismo)

reproduz de si tomado

do que restou aos leitores
analfabetizadores

hoje em refrigeradores?

A pré-verdade de um tempo
de melhor economia?

A pós-verdade de um traço
da política que havia?

Que verdade conviria?

E como agora é embaraço
seja por temperamento

ou pelo que está aos pedaços?

A pré-verdade do tempo
(da sua economia ainda)

na pós-verdade do espaço
do fim da sua política?!...

...

[no mar de meias-verdades
que a realidade explicita

se finda a inteira mentira
afogada em mentirinhas?...]

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

ECO-EXILADOS

quando entre nós

Periquitos
equatoriais

vêm de Quito
continentais

mais no grito
que comensais

- mas cabritos
transcendentais...


[periquitos

considerais
beneditos

tais quais pardais:

- meteoritos
acidentais

expeditos
de aflitos ais]

domingo, 8 de janeiro de 2017

QUADRA RESISTENTE XXX

sem avistar o fundo obsceno deste poço

A barbárie
(como a cárie

mecânica
e orgânica)

cinética

dinâmica

e estática

[qualidades
simultâneas]

presidiária
faz-se diária

{quantidade
temerária}

entre os párias.

sábado, 7 de janeiro de 2017

EVOLUÇÃO

de Dédalo a Ícaro?
de Ícaro a Dédalo?


Do ácaro
ao ábaco

do bêbado
ao pícaro

do último
ao píncaro

do véspero
ao sábado;

do sétimo
ao íntimo

do étimo
ao próximo

do ótimo
ao máximo

num átimo
mais rápido?...

EMBARAÇADA

Amarelada

a meia taça

que ao léu embaça

de um véu fumaça

que o céu esgarça

nem madrugada...


(meio sem graça

a desprateada

pela vidraça)

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

AMOR PATRÍCIO

a Patrícia


Ei, patrícia
minha amiga

eu, comigo
só, contigo

eu consigo
tal que o diga:

- sou patrício
teu patrício

desde o início
dos comícios

da puerícia
das milícias

-- das carícias
que bulícios

dão suplício
a quais vícios

neste exílio
fictício

entre hospícios
factícios

exercitas...


Ei, patrícia
vitalícia

- sempre lícia
na perícia

sem malícia
das delícias -

teu patrício
sou de ofício

desde o início
benefício:

- o artifício
de primícias

que hoje exilas
precipício...


[ei, patrícia
tão difícil

teu patrício
sacrificas

(um amigo
aos domingos

desperdiças)]

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

DA VIDA BOA

em 2017 e sempre


Olho por cima
o céu debaixo

do tempo e o clima.
Vejo que abaixo

as coisas são o que parece o chão.


Ouço de cima
o bota-abaixo

do genro e a prima.
Escuto baixo

porque não é da minha condição.


Falo que encimas
qualquer encaixo

de alento e estima.
Digo por baixo

se não nos convencermos de antemão.


[assim ainda

e tão acima
bem degustado

quão cabisbaixo
sem ter provado

entre as fatias
do dia a dia

vem esturjão no meu café com pão]

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

QUADRA(S) DAS FÉRIAS EM CASA

variações

Do mar adiante

(que o calendário
permite diário)

estou distante.

***

Do mar brilhante

(que o calendário
converte em vário)

estou mirante.

***

Do mar sonante

(que o calendário
faz teu cenário)

estou pensante.

***

Do mar gigante

(que o calendário
é corolário)

sou um instante.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

PERTO DO ESGOTAMENTO

Por onde me meto
bifronte e longevo

o moto em que escrevo

o modo poemeto
remoto que devo

- seu ritmo afeito
ao istmo efeito -

cansa de si mesmo
(sangra dos tenesmos)

açodado no ermo

pelo tempo a pelo
açoitando a esmo

reforçando um eito
duplo em movimento...


[e eu preso no meio
dado a desapreços

contrapeso enfermo
do que ao termo é feio

penso um endereço:

- pulo o pavimento
ou desapareço?...]

domingo, 1 de janeiro de 2017

NA CASA DO MEU PAI

três desdobramentos


Um sagui

veio aqui

no pequi.


Sem pequi

foi daqui

bem sagui.


(persegui

no pequi

o sagui)


[do sagui

um pequi

consegui]