sábado, 31 de dezembro de 2016

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O MELHOR LUGAR DO MUNDO É AQUI E AGORA

com licença ao grande Gilberto Gil

A Brasília
do recesso

(nem quizília
nem excesso)

é uma ilha
de sucesso

[uma trilha
sem acesso]

{escotilha
que processo}

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

DONA IONE

A mãezinha
na cozinha

é vizinha
de sozinha.


[se cozinha
(a galinha)

avizinham
seus pintinhos]

27/12/16

DA JUVENTUDE ANTIGA

A alma absorvida
no corpo absoluto

parece desmedida
ao esquecer de tudo

que o tempo resoluto
na infinitiva vida

depois presentifica.

27/12/16

TÉRMICA

O calor juiz-forano

(sobrepeso profano
sobre andor lusitano)

vem do amor juiz-forano
pelo ardor de outros anos

com fulanos, sicranos
indefesos beltranos

para as tias dar pano...

["ah, folias que ufano
do meu tempo 'vulcano'!..."]

27/12/16

PURA JUIZ-FORANA

A proximidade
da felicidade

na melhor idade
naquela cidade

(qual penalidade)

é a pura verdade
da finalidade.

25/12/16

QUINTILHA JUIZ-FORANA NATALINA

Já tal
Natal

tal qual
Natal

fatal.

24/12/16

SEXTILHA JUIZ-FORANA NATALINA

Já que
fatal

(porque
Natal)

pra que
Natal?

24/12/16

(DUPLA) QUADRA JUIZ-FORANA NATALINA

Feliz
Natal

verniz
fatal

(que fiz
tal qual)

[eu quis
igual]

24/12/16

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

ÓPTICA ÓPTIMA

A luz derrama o leite
sobre tetos em rede

para o nosso deleite.

A luz pinta paredes
de toda cor que adrede

a escuridão enjeite.

A luz tempera azeites
do corpo - a alma pede

embora não enfeite.

...

A luz aplaca a sede
derramando o seu leite

sobre o mundo que mede

[sobre tudo que aceite
sobretudo o que vede]

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

domingo, 18 de dezembro de 2016

AMOR VEGETAL

A pimenteira

namoradeira

gosta da beira

gosta da fresca

gosta do sol

envasada

amarrada

na sacada

de um arrebol.

sábado, 17 de dezembro de 2016

APESAR DO PREÇO

de havermos quem somos

Há sete milênios
nos civilizando

(desde que os sumérios
drenaram seus campos)

contamos vencido
o que é-nos nefando

talvez convencidos
de o ter tanto quanto

a bem por enquanto
no que originamos.

São sete mil anos
de vários proscênios

- uns maus, outros vento
soprando de eventos -

para o humano gênio
tornando-se humano

recivilizar-nos
a cada tropeço

do seu desapreço
pelo recomeço

apesar do preço...

...

[bem de vez em quando
por ser mais humano

a nós tem cabido
desde o mar terreno

o ar que navegarmos
no espaço dos tempos:

- provir do hidrogênio
provar nitrogênios

prover oxigênios]

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

TEMPO DE FÉ

e peia

Para toda fome que anseia
para toda sede na cheia

para todo sonho que apeia
quando da natalina ceia:

- o que o presente presenteia

absolutizada teia
unidimensional e feia

da coisa pequena em cadeia
que a tal 'realidade' medeia?...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

ENGANANDO

2016

Que foi o ano?

[nem medíocre
nem mediano
qual bom ocre
malgastando]

[nem presente
nem ausente
formalmente
registrando]

[nem passado
sem futuro
nem futuro
se passando]

[nem breviário
no tamanho
nem rosário
do rebanho]

[algo acima
entretanto
quando abaixa
sub-humano]

[palaciano?
suburbano?
subornado
acaciano?]

[um encaixo
ordinário
do cenário
ordenando?]

[um bom ano
com mau tempo
contratempo
espaçando?...]

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

QUADRA GOLPISTA DESCEREBRADA

PECs

A enxaqueca
será regra

sem que legra
reste ou sirva:

- hipoteca
(recidiva)

da soneca
coletiva

que se encerra

à deriva...

domingo, 11 de dezembro de 2016

SEMANAL


O domingo

para onde estamos indo

ignoro.


[ignoto

pelo quanto temos ido

no domingo]

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

ZUMBIFICAÇÃO

Em que ponto da curva

de uma estrada que encurta
(mais depois de outra lurta)

a tua vida recurva
(mais depois que outra a furta)

e no espelho se turva

antes mais do que surta?...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

DO ESTADO

estados

Sólido, pastoso
líquido, gasoso

gasoso com cheirum
como senso comum:

- o democrático
enfim plasmático

embalado a vacuum.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

DA MISANTROPIA

no tempo imperfeito

A melancolia
que desconhecia

(a noite encobria)

ia com o dia.

Mas reconhecia
que retornaria

(a tarde pedia).

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

QUADRA GOLPISTA PERSISTENTE

inepassável? desicorrível?

(triste pro traste interino
desinterindo)


O  governo derreteu

o guverno que fazeu

na pandeira que se abreu

do jarro de barro hegeu
(engeus?...)


O governo prometeu

um guverno fariseu

ao puteiro que trazeu

- e calhou não descumpreu
(cumprou?)


[o governo arre!meteu

contra os muitos que phodeu

muito pelo pouco meu

pelos poucos pelos teus]


O guverno encaixoteu

porque viu que se mateu

vos fedeu e fendiu nós

- os fiofós que ele morreu.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

QUADRAS DIAGONAIS


A fenda

vertical

atenta

horizontal.


A fenda

horizontal

alenta

vertical.


[a fenda

vesperal

aventa

noturnal]


{a fenda

noturnal

amenta

matinal}

domingo, 4 de dezembro de 2016

MIÚLO

ulo


Perculso

do impulso

convulso;

perculso

de expulso

repulso;

perculso

de avulso

sem pulso;

perculso

de insulso...

(sem mulso)

sábado, 3 de dezembro de 2016

GASTRONÔMICA

de par com Vandecira


Como sempre

como sempre.

[provo sempre
(promo sempre)

compro sempre]

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXIX

dinâmica tumular

Na manhã vaporosa
cujo verbo cogitam

(cujo verso dá prosa)

entre aqueles à tosa

1. uns penados se agitam
dos penados que miam;

2. depenados, se miram
(o Senado, admiram);

3. apenados, avisam
- nus a nado, revisam...

...

Os demais, que se viram

sob a loisa penosa
perniciosa da coisa

(como os nós que os serviram)

quanto mais enganosa
a manhã vergonhosa

ademais, jazem rosas:

- tantas tais, que se lixam!...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

PRESENTE

A morte
solvente

consorte
da gente

sem sorte
suporte
ou norte

aporta
repente

da aurora
ao poente

pendente.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

CRIMINALÍSTICA

(criminologia)

questões & convenções

De quem
aquém

- quando?
- onde?
- como?

- quanto?

- por que?

a quem
de bem

por mal?

...

[o mau
além

é bom]

...

{o bom
além

é mau?}

terça-feira, 29 de novembro de 2016

SOU CHAPECOENSE!

às vítimas do acidente aéreo de hoje na Colômbia, seus familiares e amigos,
e à gente do Oeste Catarinense

Entre o sonho e o céu
neste momento

contraditório
há um cumprimento.

Entre o sono e o véu
deste momento

há o purgatório
de um adiamento.

Entre a Chapecó
em sua euforia

e a triste agora
glória querida

sem cabimento

só sofrimento.

Mas os rapazes
polivalentes

eternizados
da Chapecoense

serão capazes
de entusiasmar-nos

além do tempo
de precisarmos:

- por todo o sempre

para outros tempos
continuamente...

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

A UM SEGUNDO

glimpse behind the wheel

A parede invisível
adrede indefinível

à frente do automóvel

a cada milímetro
deste velocímetro

parece inacessível
padece inapreensível

à consciência possível
da experiência terrível.

domingo, 27 de novembro de 2016

POSTIGO


Domingo

do amplexo

mandingo


[do plexo

conexo

comigo]


{do sexo

convexo

contigo}

sábado, 26 de novembro de 2016

DE UM AVÔ AFLITO

família rizomática ou lunática

Enquanto os pais se vão
longe um do outro então

seus filhos na equação
meus netos - onde estão?

(meus netos em vagões
aonde e o quanto irão

surfando as emoções

segurando o rojão?)

[meus netos sofrerão
porque é das afeições?]

{meus filhos pais senão
depois de tais questões?}

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

ESTUFA II

A fauna

a flora

na sauna

que agora

deflora

são uma

fortuna

que aflora

nenhuma.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

MARANHÃO DE SONHO

tido de Brasília

O mundo em lágrimas
derrama às cântaras

águas embaçadas

cerrando esplanadas
corredores, salas

vultos em pátinas

e estradas sicárias
saídas de entradas

expedicionárias

tão longe dos mares
que dão noutros ares

doutos em manacá...

...

[se sou qual tapete
sob atmosferas

sonhando um paquete
vagar a quimeras

sobre a estratosfera

quero ir pra Alcântara
pegar meu foguete

pras tapuitaperas
doutros tupinambás!...]

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

VAZANDO


O passado gira

a porta do presente

pela guia da memória.

...

O futuro vira

janela no presente

todavia pela história.



[o presente pira

precipitadamente

pela via dessa estória]


terça-feira, 22 de novembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXVIII

para as férias

À janela

há carcarás
entre os sabiás.

Porém dela

pouco ouvirás
(nada verás)

da predação

do que será
esta estação.


[mas cadelas
porcos, gambás

sobrevoarão

e de plantão
nós nos sofás]

CLIMÁTICA

sem clima


A estação tal

passa o bastão

à estação qual

o atrasado

perde o vagão

do esquecido

pelo enfado

desse El Niño

sem La Niña...

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

NA SALA DOS PROFESSORES II

da simulação como educação

O tempo na sala
cavila, não passa

de um vento que chova
precavido à pala;

é como o da enchova
tão fina se escassa

à boca que aprova
interina a caça;

e como o da alcova

ao desencantar-se
sem mesmo encontrar-me

porém professora:

- tempo de catarse
do quase que ocorra...

NA SALA DOS PROFESSORES

O problema dos senões
no registro das menções

(dos alunos em questão)

silencia sepulcral
o semestre no final

[até os prazos recursais]

domingo, 20 de novembro de 2016

CONFRARIA

do Rabo Amarelo

Em torno da mesa

bebemos ao tempo
comemos a espaços

conversando aos ventos
trocando o compasso

amigos de assentos
amantes do papo

do forno à tristeza

chegando à francesa...

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXVII

nos trópicos, savonarolas sem carapuça


O sol acima

o fel abaixo

farol de mira

céu cabisbaixo

anzol anima

cruel encaixo

do escol ao clima

do infiel ao taixo

cerol na linha

lebréu no mato

fenol à vista

babel no caso

que o sol sofisma

que o fel vindima...

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXVI

parafraseando o sonho de Manuel Bandeira
(e o contratempo de certas autoridades)

Desde o Rio

entre a Suíça
Ilhas Cayman
e o Panamá

indo embora pra Pasárgada

deu chabu

(em Bangu)

ULTIMAÇÃO

Este poemeu

exprimido
espremido

sobre algo teu

mal curtido
e encurtado

pervertido
ao passado

me prometeu

rematado
rematá-la

fracassado.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXV

parafraseando o grande Thiago de Mello

"Faz escuro mas eu canto,
porque a manhã vai chegar."

[faz escuro

e eu no meu canto
tu no teu canto

e ele entretanto;

nós pelos cantos

e vós, no encanto
deles, no entanto...]

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

DO ATOR CONTEMPLATIVO

face a mais vulgarismos

... o fato de estar vivo
aqui, agora e incrível

testemunha que fico
(advoga que eu fique!)

apesar de difícil
(às vezes, sacrifício)

tão fácil e acessível
à beira desse hospício...

NO INTERIOR

O sono profundo

do corpo maduro

é o sono maduro

do corpo profundo.

...

[mas sonho obscuro

que bebo imaturo

de um copo sem fundo]

domingo, 13 de novembro de 2016

PRIMAVERIL

de um aniversário senil
adversário do Brasil

Estou cansado.

Estou cansado
para um agrado

desagradável.

Estou cansado

de convidados
de enamorados
de aprendizados;

de homens honrando

antepassados
de ultrapassados

e os trespassando
desde os passados.

[estou cansado
de ser casado

e descasando
querer-te ao lado;

de haver pensado
(sendo casado)

que descansando
ia compensá-lo]

Estou cansado
de ser cobrado

e ao vir dobrado
se ver logrando;

ser convocado
reconvocando

e dispensado

se haver pensado
indispensável.

...

Assim pesando

viver cansado
parece um fado

padece dado
e maturando;

certo ou errando
do lado errado

somo ao cansaço
justificá-lo.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXIV

Trump

Vosso fascismo formal
retorna paradoxal

nunca contraditório:

- para além do nacional
do global, do neotribal

[para o bem do (ir)racional
conservador liberal]

o que importa é o negócio
aquém do palavrório

[a alma do capital
(seu espírito cardeal)

num corpo obrigatório]

terça-feira, 8 de novembro de 2016

PÉ DIREITO

O que me é contemporâneo
me chegou extemporâneo
pouco, nada de instantâneo
nada do outro simultâneo;

algo mais do que cutâneo
para um sal mediterrâneo
talvez peça um supedâneo
(ao invés do pé espontâneo)

que me encerre consentâneo
(no limite, soterrâneo)

mas que rogo momentâneo:

- tendinite do calcâneo...

domingo, 6 de novembro de 2016

ATÉ O ENTARDECER

Domingo

de opalas
a pino

badala
seus sinos

me embala
menino

e à fala
seu hino

felino
escala.

[de salas
contino

à tala
seu tino

divino
se cala:

- domingos
de gala

cabalam
ferinos

bengalas]

sábado, 5 de novembro de 2016

POLTRONA

Desacelerado
o meu batimento.

Desarticulado
do meu provimento.

Desincorporado
(pelo sentimento)

todo pensamento

por abandoná-lo
ao seu movimento.

[desavergonhado

aquilo que calo
daquilo que leio

naquilo que falo
do quilo que veio]

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXIII

nas escolas públicas, coração de estudante

Meninas e meninos
ocupados, preocupam

uns adultos malinos
(estultos cristalinos)

sobre a questão do ensino

no sempre prometido
à frente paraíso.

...

Meninas e meninos
na verdade se ocupam

do combate ao fascismo

sobretudo - e sozinhos
contra o mundo vizinho

que alenta, comezinho
"não tente outro caminho!..."

...

Meninas e meninos
no processo, se educam

do sucesso adstrito
ao agir coletivo:

- ao senti-lo, o vinculam
a pensá-lo, e articulam

ao refleti-lo - a luta.

...

[meninas e meninos
ocupados, me educam

(a mim, se tal professor
paralisado de horror

ao fim de qual termidor)

para a questão do ensino
sobre um melhor destino]

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

QUADRA RESISTENTE XXII

nosso velho THC

A decomposição
do vosso tecido

(das imaginações
do seu poderio)

segue a mal urdida
ourivesaria

daquela pirita
antes intestina...

Afloram dissensões
entre a camarilha

pelo descabido
a cada quadrilha

de cada armadilha
cantada de antemão:

- autorrealização
de um ente sabido

prontuário vencido
ainda de plantão?

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

JORNALISMO


É digno

o signo

fidedigno.


Benigno

maligno

é condigno.


[fidedigno

é condigno

o maldigno]


{tal cigno

vez lígneo

talvez ígneo}

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

sábado, 29 de outubro de 2016

HOJE

O sábado

eu vos digo
que o digito

acabado


[malsentido

pelo dito
apensado

impensado]

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

TERRITORIAL III

Por ser daqui
sem condições

(daqui por si
sem que pedi)

- depois de fortuito
encontro gratuito;

de espermatozoides
e um óvulo ovoide;

mãe e pai
parentais;

e a sorte
de uns nortes -

(se não por isso
por isso havido)

sou eu de antemão
o agradecido.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

ESCANDINAVA

2016

A Academia

- pré-arcaísta?
- pós-modernista?
- revisionista?

diz que poesia
(desde a Ilíada)

vem de letristas
[dos beletristas]

ou poderia
de musicistas.

Acompanhante
de rocinantes

seus navegantes
e outros farsantes

eu já sabia.

...

{caro Zimmerman:

- concordarias
com Bob Dylan?}

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

OVERDOSE

com café não se brinca

Um cappucino
exagerado

(com seu expresso
mais indigesto)

é como o cimo
mas do buraco:

- o seu efeito
correlativo

[tão manifesto
subentendido]

é rarefeito
e obstrutivo

{de mau proveito
superlativo

seu parapeito
ao pé do piso}

terça-feira, 25 de outubro de 2016

SONHO RUIM

... as cordas
(recordas)

abordas

engordas

bafordas

reforças

retorces

enforcas

[acordas!...]

QUADRA RESISTENTE XXI

great expectations

Reorganizando dados
(dos concretos aos ingratos)

especulo sobre fatos
(pouco antes de outros cegá-los)

face à noite pardacenta

que esbranquiça de nevoenta

a parede que cimenta

tão tranquila quão violenta...

...

(eles manterão seus gatos
para os secos-e-molhados?)

[alimentarão seus ratos
da patrulha dos telhados?]

...

{ao considerar-nos patos
brindarão aqueles gratos

à saúde dos grelhados?}

...

{perdurar-se-não a jato?...}

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

AMANTES

A luz e o tempo

deitam-se ao vento
do sol da tarde

porque mais arde
cada metade

até o momento
(quase covarde)

do ferimento
de seu aparte.

QUADRA (BEM) ANTES DE IR

Meu tempo de terminar

acabou de começar

o que houver de germinar

no espaço de cultivar.

QUADRA RESISTENTE XX

um ano para (não) esquecer

2016
- o ano de vosmeceis!

Ano em que vós podeis
fazer o que quereis:

- dizer o que direis
sentir que pensareis;

- pensar que sentireis
agir não que sabeis

- impor o que urgireis;

- mentir o que tereis;

- dispor do que havereis;

- ganhar que não perdeis
perder não que ganheis...

2016
- o ano que não vereis.

Mas dele - o que ouvireis?...

domingo, 23 de outubro de 2016

DA CRIAÇÃO

Sob pressão
pela invenção

desta expressão
da imensidão

(iniciação
terminação

conversação)

o verso não
peleia em vão.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

TROVÃO POENTE

O hematoma
escureceu

toma conta
do enfermo céu

e rasga o véu
de sua tromba

rugindo ao léu
do que tombe:

- um sintoma

em redoma
do que sofreu

(seu apogeu)

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

QUADRA RESISTENTE XIX

a Cunha de Lula

A treva
se atreve

ao peva
(sua eva)

que a leve
resteva

ao Deva
e o seve

tribreve.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

SUCESSOR

O criador
multicor
interior

já pior
do calor
opressor

(do cultor
do valor)

foi melhor
ao dispor
desse ardor

a compor
exterior

um maior
anterior

[pormenor
posterior]

superior
inventor

perdedor
como autor

{seu amor
a supor
vencedor}

domingo, 16 de outubro de 2016

MATINAL

na marginal

Dos lares
aos pares

avatares
(aos milhares)

cicloviam
[e reciclam]

odores
de amores

que habitam
seus bares

{orbitam
seus lares}

NA IGREJA

A brisa
das portas

(aragem
nas costas)

bafeja
miragens

à guisa
de imagens

que beija.

sábado, 15 de outubro de 2016

CANSADA

A luz desmaia
no seu fastio

do lindo dia
que havia tido

antes que saia
das samambaias

do casario
depois sombrio

e a noite caia.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

OBSOLESCÊNCIA PARADOXAL

programada

O contraste
entre um traste

e o que gaste
porque estrague

(não embrague
porque traste):

- seu engaste
no desgaste.

QUADRA RESISTENTE XVIII

questão

A normalidade
da anormalidade

(a moralidade
da imoralidade)

[a legalidade
da ilegalidade]

{a felicidade
da infelicidade}:

- chumbo(s) de verdade
do bumbo da inverdade

da vossa fatuidade

[da nossa gratuidade?]

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

DO CREPÚSCULO

aos netos

Lusco-fusco

de pardusco
pra farrusco

(de velhusco)

eu corusco

só patusco
vos chamusco!...

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

SOMEWHERE IN NORTHERN EUROPE

between the vikings and the dawn of democracy

... recordem

tricordes

acordes

que acordem

milordes

da morte

milhordes;

reportem

a fiordes

vobordes

consortes

cocotes

mascotes

esportes;

concordem

magotes

discordem

chicotes

da sorte

das ordens

do Norte;

e engordem

recordes

dos fortes

bigodes

que importem

recortes

da côrte!...

terça-feira, 11 de outubro de 2016

QUADRA RESISTENTE XVII

contra a barbárie, apenas música

No momento
deplorado

dos monjolos
reativados

pelo tempo
retroagindo

desprovendo
desprovidos

me consolo
depurando

de Egbertos

letramentos
indisertos;

com Gismonti
no comando

me protejo
do espectro

de aspectos
no varejo

(prospectos
do atacado)

que antevejo
agravados

face aos hostis
bárbaros vis

que agora ouvis...

QUADRA RESISTENTE XVI

por um róseo olhar

As manhãs

amanhã:

- cidadãs?

- cortesãs?

- talibãs?

- ou tantãs

no divã?...

...

Amanhã

que manhãs?

Sem maçãs

sem romãs

avelãs?...

Que amanhã

talismã

sem manhãs?

...

Oxalá

o amanhã

se tupã

(de ancião)

hortelã!

E quiçá

com manhãs

anfitriãs

como irmãs!...

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

QUADRA RESISTENTE XV

visões

Um cinza intermediário
por sobre o dromedário

da minha travessia
por esta economia

que vinga salafrários

contra a cidadania...

...

Um cinza intermediário
da minha travessia

por sobre o dromedário
contra a cidadania

que vinga salafrários

por esta economia...

...

Um cinza intermediário
por esta economia

contra a cidadania
da minha travessia

que vinga salafrários

por sobre o dromedário...

...

Um cinza intermediário
contra a cidadania

por esta economia
por sobre o dromedário

que vinga salafrários

da minha travessia...

domingo, 9 de outubro de 2016

QUADRA RESISTENTE XIV

perspectiva

A cada dia
sono e vigília

sonho que a via
para outros dias

passa a quizília

e a nostalgia
das eufonias;

passa a família

e a infantaria
das covardias;

passa Brasília

e hipocrisias
em demasia.

...

Mas a ousadia

de mais sofia
para ousadias

antinomias
desarmonias

permitiria?
nos passaria?

do que jazia
ao que haveria?

A cada dia
sonho a vigília

que poderia.

QUADRA DA BÁSICA CON(TRA)DIÇÃO

Vizinho

do mundo

(sozinho

no fundo).

sábado, 8 de outubro de 2016

JURISTA

sofista

Oblíquo

melífluo

profícuo

o incurso

que turvas

lucífluo

excursa

iníquo

seu curso

perspícuo.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

QUADRA RESISTENTE XIII

Salga-se a terra
e o sal da terra.

Salga-se a terra
no que ela encerra

para os sem-terra
que usam pau-terra

e os serra-serra
que a vida berra

pelo ar da serra
no mar que cerra:

- sob o mar, guerra
entre os sem-guelra

pelo que enterra;
guerra sem trégua

como a da serra
contra os sem-terra

(a que os desterra
da retroterra).

...

Salga-se a terra
e o sal da terra

como se aferra
ao que mais erra

desde o pós-guerra:

- tanto o que ferra
(tanta a bozerra)

quanto isoterra
de motosserra...

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

terça-feira, 4 de outubro de 2016

QUADRA RESISTENTE XII

powerpoints

Teu jogral
cardinal

racional
magistral
imperial

passional
corporal
animal

transpessoal
e pessoal

tribunal
coloquial

ideal
a um pardal
eventual

(que pensou
que acordou
rouxinol)

afinal
medieval

- foi bestial.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Conclusão do Projeto Revisitas

Com a postagem de "Múltipla escolha", poema abaixo, encerro o Projeto Revisitas, iniciado em julho de 2014 com o objetivo de resgatar (seletivamente) a produção poética anterior ao Sol Reflexo.

Dessa forma concluído, creio que, neste ponto, a minha poesia tipicamente relevante (seja qual for a definição para tal expressão) está inteiramente contida neste blog.

Ou seja, nada mais ficou para trás.

M. B.

REVISITA 159: MÚLTIPLA ESCOLHA

O ar, condicionado
à resposta certa;
a mente, fugidia
encoberta - escapista!...

Ao pensar, emparedado
(entre hiatos)
a opção correta

indetermino

à vista
(da questão seguinte)

o desatino

da via
que, ida

erra...

22/04/2006

domingo, 2 de outubro de 2016

TARDE A DOMINGAR

ensolarada

Do dia claro

à clara noite

anoito tarde

se cedo aclaro:

- retardo o dia

e adio a noite

(em sintonia)

se à tarde o faço.

sábado, 1 de outubro de 2016

QUADRA RESISTENTE XI

sobre os novos sebastiões

O silêncio
da ignorância

(ignorância
do dispêndio

de sua substância
de sua circunstância
de sua manigância)

eles substituíram

pela estridência
da sua inconsciência

[inconsciência

da (in)consequência
da sua permanência

pela estridência

de sua consagração
messiânica]

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

REVISITA 158: SONETO A DUAS FOTOS

Azul, azul, azul, azul...
Verde, verde, verde, verde...
Azul-verde, verde-azul
de luz, luz, luz - muita luz

deitando o horizonte do Recife
diante dos meus olhos brancos
de susto! E do branco imaculado
da tua silhueta explodindo

(toda um sorriso)

que tão generosa, arrisco
a dizer - amalucado de vez
que vou tentar tudo outra vez

reabrindo o abismo
a estação das quedas
das janelas abertas

(ao infinito)

16/04/2006

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE X

constatação

A treva

et caterva

sob o sol

paradoxal:

- o 'novo normal'

jus tropical.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

DO DUPLO NEGATIVO

sorteio positivo

O vazio por dentro
e o fastio por fora

(o fastio que adentro
e o vazio que sobra)

esvazio do espelho
cabeceira de outroras

sem receios agora
(custeio de epicentros).

Ao que cobra do evento
nessa bolha que aflora

menos ressentimentos
mais atenção às horas;

ao que dobra no tempo
depurado por ora

mais reverdejamentos
menos sonhos de auroras

além do apontamento
de passados, embora

e aquém, na incubadora
dos vãos que experimento...

[eu espelho, da obra
refletindo o que avento

do duplo negativo:

- vazios que esvazio
somando relativos...]

terça-feira, 27 de setembro de 2016

FIM DE FESTA

estrutura

A exaustão
de salão

animal
deste chão

é um sinal
gutural

que o piso

antemão
de arrimo

(que sai nos
repisos)

esvai mal.

domingo, 25 de setembro de 2016

Poética dura

na passarela subterrânea 115/215 Norte

"Existe melhor
remédio para a
memória que o
rancor?"

sábado, 24 de setembro de 2016

REVISITA 157: PRESUNTIVA

... ora, se a vida, perguntada
numa forçada de beira de estrada
sobre a vida, descansando a caminhada
do peso da estiva, suada

a vida, feita oráculo, depararia
consigo reflexiva, e conjunta pararia;

por ali, resistiria
pensativa, acabrunhada
desolada, súbito solidária
da comum ignorância das vidas

ciente que, tal ciência existisse
na vida de si constitutiva
algo saberia; e se se inteirasse da vida
a si tudo contaria...

12/03/2006

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

QUADRA SEM LUZ

A CEB

casebre

dá sede

à febre.

A CHUVA II

... é um temporal

mas espacial:

- de vertical

a horizontal

noventa graus...

A CHUVA

... para o bem, para o mal
somente um temporal

sobre o bom, sobre o mau
num mesmo temporal

animal, vegetal
particular, geral

apenas temporal:

- salutar e brutal
por ardor mineral...

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

ANTES DAS CHUVAS


A névoa seca

suspende poeiras

- e nada adensa;


sua cinza preta

pinta cadeiras

- mas nada assenta.


Brisa que sopre

de bananeiras

- nada acrescenta;


sombra que mostre

ser companheira

- tem companhias.


À bicharada

bicas rachadas

- pouco compensa;


o clima espera

outras sujeiras

- mais liquefeitas.


(o tempo apresa

o que percorre

sem tais parteiras;


o tempo apressa

o que decorra

das imperfeitas)

...

[no meio disso

há o que ressinto

porque mau cheira]

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE VIII

Curitiba

O ódio de classe
veste de preto

alguns fugaces
(piccolo fascio)

nalgum coreto
(piccolo fiasco)

em prima instância.
Sequer distância

do desenlace
mantêm direito

tal o rapace
desses rapazes

mal escorreito:

- o ódio de classe
mente ligeiro

tanto os falaces
quanto terceiros

quando sequazes.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE VII

à militante anônima das ruas

Estrangeira
companheira
de carreiro

a despeito
do receio
com que vejas

cavaleiros
brigadeiros
carniceiros

(de sujeitos
cavalheiros
pelos becos)

sobranceira
brasileira

és primeiro
candeeira:

- a porteira
a carteira
a parteira

arquiteta
engenheira
e pedreira

jardineira

do perfeito
jasmineiro!...

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE VI

lambendo as feridas

Quando o chão e o teto
se vão por completo

e o tal 'novo normal'
tão aquém conjuntural

além de concreto
se afirma estrutural

'natural' e velho
(mas mais piramidal)

nos creem agora objetos (de insetos)

animais putrefazendo obsoletos.

...

Frente a grã-notáveis monstros paradoxais

cidadãos (in)quietos

fomos arquitetos

de alguns meridionais
'projetos nacionais'

por ação e omissão

provectos e não.

[por razão de paixão
houve saída não]

...

{por paixão da razão
também haverá não}

domingo, 18 de setembro de 2016

REVISITA 156: SÁBADO GASTO II

O fato da linguagem
humilde no limite

é certo, não exime
teu olhar de me operar

(a mente triste em riste)

num dedo de linguagem.

11/03/2006

sábado, 17 de setembro de 2016

QUADRA ALCOÓLICA

Desmaia a tarde

de parte a parte:

- eu meio tarde

creio que parte...

REVISITA 155: SÁBADO GASTO

... abstrai(-se) tanto assim

se de método carece
(mais guias, margens, juízos)

e paragens abastece
(de larvas a mosquitos)

qual vencida maionese

que às tripas apodrece...

11/03/2006

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

terça-feira, 13 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE IV

no país de Marcela

Brasil:

- abril
brasil

anil
brasil

civil
brasil

gentil
brasil

servil
brasil

gazil
brazil:

-- Plasil.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE III

urubuservando


O farsante

- como bom amante de um poder minguante -

sonhando

segue espiralando.


Contra a realidade

sua idade

- cronologia afã de um mesmo lodaçal -

é o pior sinal.


Desse divórcio, de certa propriedade

escaldante

(do fático afinal

penando)


resulta que açodado, repuxa adiante

sua verdade:

- truz degenerando

figadal.

domingo, 11 de setembro de 2016

DIANTE DE UM DEUS DAS PALAVRAS

pensamento segundos antes de iniciar mais uma releitura de Uma faca só lâmina, poema maior de João Cabral de Melo Neto

Aí vem o monstro

em tirambaços
de verso exato

me complexar
fígado e baço

ao acertá-los

(sem complexificar
o que precisar).

sábado, 10 de setembro de 2016

PARA MORRER E VIVER

autoajuda

Não há muito o que fazer
quando cansamos de ver

(quando cansamos de ler
interpretar e aprender).

Mas há muito o que trazer
quando cansamos de haver

terceirizado o dever
do acumulado poder

ao reconhecermos ter
sido alguém para esquecer:

- primeiramente o prazer
de ultimamente querer

[para em seguida querer
ultimamente o prazer]

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

REVISITA 154: ARCAICA

Pressinto do centro à beirada
(no limite do que é da minha alçada)
o abismo - o indefectível velho vento
frio ancestral que irrespiro

há muito; e que sempre quase toco
(palpável poeira irremovível)
quase sempre bloco intransponível
vindo raiz de cima em granito

com asas; levíssimo perseguidor
das minhas caçadas - do certeiro tiro
que atiro nunca porque serrador

da beirada; poleiro do centro
refrigerador semi-perpétuo

desse movimento
que presente incompleto.

12/12/2005

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

NOS COVIS DO CRÂNIO

com licença a Hegel (e Nietzsche)

Poemas livres, gostaria
de escrevê-los, todavia

na minha caixa craniana
demasiadamente humana

outra caixa, que a limita
de outra caixa, que a restringe

recompõe qualquer limite
que a segunda antes restrinja...

Poemas livres, eu queria
que soubessem o que rima

covardia (ousadia?)
com colina (sem esquinas)

para ver o que haveria
mais prosaico que poesias...

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

terça-feira, 6 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE II

questão prática

No Dia da Pátria
que fazem de otária

marcharão seus párias

ou suas alimárias
desmancharão várias?...

...

[que tais diferenças
se não de nascença

sejam de presença

e não pituitárias!]

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

DO 'PROFESSOR (sic) SEM PARTIDO'

pedagogia do comprimido

Sou propedeuta
nada hermeneuta

do que conheça
que desconheça;

sou farmaceuta
e terapeuta

de uma só cesta
- tenho a receita!

Se és apedeuta
mais que cretino

- o grego 'idiota'
é apolítico -

na lida agiota
que atila o tipo

alguém deseja
que assim o veja:

- posso mantê-lo
como modelo

de um zero à esquerda
todo à direita

ao fim tão besta
(louvado seja!)

em tua inocência
dessa indecência!...

domingo, 4 de setembro de 2016

REVISITA 153: JÂNGAL II

No relvado
parado
em compasso
de espera.

Sinto a nuca rija
do resfolegar de suas narinas
enganadas

(o monstro imóvel tortura-me
errando expectativas).

O céu verde-escuro, o ar esquivo
papéis surdos espalhados;

os minutos sentados, os segundos
minúsculos alfinetes:

- a carreira bruta por começar.

Que palco triste que sou
de forças alheias, acerbas
apertando-me o pescoço;

quão opaca a vida
às vezes, e quanta estiva
obrigo-me sempre
a mover:

- para que o demônio interior encontre passagem.

05/04/2005

sábado, 3 de setembro de 2016

QUADRA RESISTENTE

contínua, continua

Temer o usurpador
(e outros da mesma flor)

pouco poderemos
face ao que devemos:

- nada a seu dispor
(e aos de mesma cor)

do muito que haveremos
contra a maré, nos remos

de vir e recompor
de luta, de labor

o que enfim faremos

(a mais e com menos)

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

NAVEGAÇÕES

1. A disciplina
da ferrovia

o trilho trilha?


2. Autonomia
em rodovia

é relativa?


3. O que caminha
por hidrovia

pisa e liquida?


4. Qual ousadia
aerovia

locomotiva?


5. E quanto à via
que virtualiza

que modifica?...

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

REVISITA 152: FELICIDADE EM GOYAZ

Eu queria que agora
parasse um tempo.

Hora de fresca colheita
contrária à seca semeadura.

Minuto resoluto de alegria
avesso a essa lenta angústia.

Segundo de brecha orgástica
sempre que ruptura.

Eu queria que o milagre herdado daqueles dias
passasse nunca:

- como a eterna lisura das pedras
de suas gastas ruas.

04/09/2004

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

QUADRA DEPOIS DO GOLPE 'DE NOVO TIPO'

arcaica; velhíssimo

Nos Brasis
de raiz

um país

de cariz
infeliz

ninguém quis:

- não condiz
com país

a cerviz
por um triz.

Nos Brazils
da matriz

(sem matrizes
diretrizes

aprendizes
cicatrizes)

o almofariz
sob o verniz

(alguém nos diz)

não tem matiz:

- nos quer servis.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXXII

reviewing & updating

Da câmara
ao cânhamo

da sâmara
ao pântano

simultâneos

desabridas
têm havido

(adscritas
adstrito)

[expedidas
expedito]

uma mídia
de polícia

da polícia
pela mídia

da justiça
mais cediça

sucedâneas.

Nesta hora
lamentável

no pedaço
sem demora

há um senado

por perfídia
condenável

condenando...

... desde antanho.

...

Alagados
caminhando

apagados
ou tateando

ou a nado
ou boiando

já chegamos?

- ou é dado
que vagamos?...

domingo, 28 de agosto de 2016

SORRINDO

Domingo

[surgindo
luzindo

bem-vindo
tão lindo

seguindo
cingindo

mal indo
infindo

convindo
fingindo

cobrindo
fugindo]

dormindo...

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXXI

curso sucursal

No pau

o caos
dos maus.

Na nau

recaus
pardais

cacaus
aos tais

e mais:

- os quais

julgais
arrais

jamais!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXX

aos dois lados da rua

A farsa chega ao fim
sarça, moega, feroz.

O que será de nós
já consúteis, enfim?

O que fará por vós
antes úteis, após?...

- porque o que vem de ruim
assim veloz cupim

terá o pudim a sós.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

terça-feira, 23 de agosto de 2016

CELESTINA II

O sol no poente

ardente embora
timidamente

sai de repente
francesamente:

- como se a aurora

da nua agora
lua pubente

o enrubescesse
menor afora

do amor em frente.

OTIMISTA

A poesia

pessimista

dá na vista

se curtida

se perdida

na medida.

CARIOCA

O beijo antes do sonho
(bafo depois do sono)

beijo durante o gozo
(mordisco e lambo todo).

O resto negociamos
(sua roupa no balaio)

a caminho do ensaio
do Cacique de Ramos.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXVIII

ao velho guerreiro

Na ressaca
da Olimpíada

sai da cloaca
brasilíada

outra inhaca
elegíaca

da velhaca
nova tríada

(sua matraca
midiática)

em olímpica
arremetida

da tentativa
repetitiva

de aliená-lo
das miríadas:

- mas jararaca
é a política

que não morre
sem que reviva!...

domingo, 21 de agosto de 2016

NA FILA

do clima

A água retoma o ar

até então no fogo
(do afogo de agosto)

molhando-o a gosto;

a terra aguarda do ar
aguá-la de novo

olhando-o aventar
toda a coisa do mar.

BONANÇA

O azul do céu

com o seu véu
do branco anel

(e o seu pincel
sem escarcéu)

descobre ao léu

como a um chapéu
boiando sem

o meu batel

...

e fico bem
neste papel

como um ilhéu
matusalém

requer alguém
perdendo o trem

a ser ninguém
além de zen

[a ter porém
o que convém

convés aquém]

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

REVISITA 150: ORAÇÃO

neste momento, tristemente apropriada

Anjo da infinita felicidade
concebível apenas nesta idade
das rotas que trocam de lado
jogo sem-fim de espelhos:

- conceber-te assim manifesta-me
a razão última deste estado
pobre, esvaído, amargurado
contrito evocando-te laço
contorno saudoso do pescoço...

Assim, derradeiro
(feito ao forno um espeto)
espreito o próximo segundo
estreito

que posto, abrevio:

- anjo da infinita impiedade
aura reflexa, crepuscular
elusivo, íntima, inacessível
inútil

rogo-te, e silencio.

(o diabo
de todo lado
urge)

31/05/2003

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXVII

caso de violência doméstica

... e a togada ministra

diz-se amante da língua

ao bordoá-la sinistra!...

(prejulgá-la petista)

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

SONHO DE UM PROFESSOR

horizonte diretivo

... a formatura

(bacharelado

licenciatura)

do favelado

da prostituta

do deserdado

[dos condenados

a toda luta

absoluta];

a formatura

que porventura

a nós versados

seja ventura

emancipável

da escravatura

dos preconceitos:

- se parapeito

quem sabe apure

(no passo estreito)

quem sabe eleitos?...

terça-feira, 16 de agosto de 2016

QUADRA DA NATUREZA DA COISA

Quando novidades na rotina

viram rotinas da novidade

sinto descansar a medicina

de melhor pensar que é minha idade.

domingo, 14 de agosto de 2016

REVISITA 149: DO INVÓLUCRO

O teu silêncio fino
invisível fio

lâmina inaudível
assassino frio

(de gatos passarinhos)

eterniza o instante
do meu cárcere corpóreo.

31/05/2003

sábado, 13 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXVI

à deusa puída, traída e moída

Num resumo de historieta

o direito é da direita
seu sabujo e estafeta

desde a Pedra de Roseta.

Mas do fato que o sujeita
o direito é de direita

dito-cujo que a ordena?

O direito bem que tenta
parecer que se endireita

enquanto espreita e estreita
da coisa vária malfeita

sua suspeita colheita:

- seletiva a celebreira
da festiva ceifadeira!...

...

O direito é de direita
cujo dito se condena?

Pois se há justiça a ser feita

entre refeita e escorreita
que evite maior desfeita

dignamente imperfeita

tal justiça é mais à esquerda
sobre a cerca, o cerco, a perda

da injustiça que enfileira.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXV

A onda raivosa
dobrou a esquina.

Fronda trevosa
mais espaçosa

tal inquilina

tão cobiçosa
quão cabotina

terebintina

em sua gravosa
indisciplina

qual lamparina
descuidadosa

já lambe as botas
de gasolina.

REVISITA 148: PRA CÁ DE BAGDÁ

O aniquilamento
pelo anonimato

por que não lamento?

Não posso.
Não tenho o direito

(posto que ativo
resulto omisso).

Eu fujo.

Algo covarde
proponho em sonho a palavra à parte

da humanidade.

[em branco
das bombas escapo

(o escalpo)]

25/03/2003

terça-feira, 9 de agosto de 2016

OLÍMPICA II

desagravo à deusa da Cidade de Deus

A conquista da Rafaela

- porque boa, justa e bela
em sua dourada procela -

revisita por tabela
numa linha paralela

nossas vidas frente à dela:

- da garota magricela
à judoca da favela

assistimos da janela.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

OLÍMPICA

Batalhas

que valham

medalhas

tintalham

fornalhas

espalham

navalhas

farfalham

mortalhas

migalham

cangalhas

muralhas

canalhas

(bandalhas?)

domingo, 7 de agosto de 2016

QUADRA REFLEXIVA

Domingo

é o dia

do tempo

que havia.

SEXTA

Sábado

domingo

segunda

(segundo

ábacos)

úberes

respingam

salpicos

de acasos.

QUADRA GOLPISTA XXIV

da cerimônia de abertura

Límbico
tal impostor

límpido
mau versador

tépido
qual seu vigor

trépido
mal declarou

acerbas as Olimpíadas.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

NESTE COMENOS

A lua acena a Vênus
sorrindo a sua alvura

acima dos somenos
de vidas sem altura

abaixo da fundura
do espaço imensurável

(afável pelo menos)

QUADRA GOLPISTA XXIII

a Luís Nassif


Judicial

o 'novo normal'

é natural.


Policial

o 'novo normal'

é cultural.


(celestial

o 'novo normal'

tradicional)


[infernal

o 'novo normal'

adicional]

...

{se por acaso

'não vem ao caso'

é eleitoral}

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

REVISITA 147: O MÚSCULO

Pródigo pedaço, do pedaço sumido
de volta! Senti fundo a falta, e tamanha
do pulsar que rítmico descompassava
a outrora agora alegre carcaça!...

Mas por que não outro vazar de olhos
jorro de outras luzes? Por que este andar cioso
de espaços, ao invés dos outros vários
que se entrecruzam no meu corpo?

Só bates incessante, pulsando estacas no abismo.
Ela, na migalha alada de um sorriso
como que ressuscita as cores e os sabores do mundo?...

(mistério parassimpático: a fantasia matutina
que clara anima esta ilusão cardíaca
rítmica passa ao largo, alheia)

[sou dela o músculo vadio
tolhido e expandindo]

21/08/2002

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

REVISITA 146: JANEIRO

Em janeiro deste ano do Nosso Senhor incansável
travas decerto entrevadas de medo enfim descansaram:

- vazou entre duas noites
certo azul imprevisível
como chuva intermitente
sob um céu desprotegido.

Nosso Senhor fidalgo, neste janeiro simpático
concedeu-me outro coração, de invenção algo recente
(por dentro do meu, o dele):

- insidiou-me desfaçada
tal alegria embriagada
que transbordou-me champanhe
dos campanários de luas

insolente pelas ruas.

Nosso Senhor físico, jardineiro metafísico
plantou raro o seu janeiro
num jarro que movimento:

- formosa rosa morosa
carnívora dor bípede
impossível mas provável
botão colorido diário

(Eva fêmea terna e dura
teus beijos costuraram-me
deitaram-me até a raiz
terra lavrada cicatriz;

Eva gêmea de costela
se tua lâmina talhou-me
o sangue mais cabralino

de esperanças coagulou-se).

...

Este Senhor Nosso, pontualmente mefistofélico
avisou-me, contudo na vida, que tudo tem prazo
qual o seu tempo de preço:

- no feérico fevereiro
dourado carnavalesco

(hora de bijuteria)

sopra outra ventania.

12/02/2002

terça-feira, 2 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXII

1964 em 2016

O que era gasoso
agora é líquido

- líquido e decerto.

O que era líquido
agora é sólido

- sólido e coberto.

O que era sólido
agora pastoso

fétido é cheiroso

normal paludoso

claro de enganoso.

Esse espessamento
geral do momento

é o que respiramos
entre desalentos

sem que o desfaçamos

nem que o recordemos

(pretérito o efeito).

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

QUADRA GOLPISTA XXI

à luz enfim do túnel

Da colônia ao império

do império à república

- e desta ao vitupério
grotescamente sério

que hoje se testemunha -

tivemos ditaduras
xarás no tipo e unha

quiçá de alguma cura:

- das cúrias, tiranias
coronelistas fúrias

à crua escravatura
da muita que perdura

sempre sopraram brisas
de vir democracia

embora uma lonjura

afora alguma jura...

domingo, 31 de julho de 2016

OS QUERIDOS

falecidos

No domingo
desvaindo

meus amigos
(os antigos)

vão comigo
competindo

nas estórias
da memória

por atenção.

sábado, 30 de julho de 2016

sexta-feira, 29 de julho de 2016

REVISITA 145: SONHEI-TE

Irrompeu, na madrugada quente e fria
fenda onírica, por onde luzidia
inadvertida, vieste mal bem-vinda
silenciosa, entre suores e zumbidos

(eu não quis acordar tais amores
numa realidade de mosquitos).

Ali me senti, contigo embevecido
como atado, numa bolha envelopado
àquele meio frágil, fino o tecido
entre o meu sono, este sonho e a vigília:

- o braço morno enlaçando o teu hálito
a mão solícita de outras se ocupando
nossos olhos e sorrisos entrançando
teias úmidas e tímidas de aranha

(muda arquitetura de palavras).

E passeávamos, as pernas tropeçando
na atenção que a nós somente dedicamos
(na verdade, todo o coito girávamos

seguindo uma valsa surda e torta
num torto círculo imaginário).

Ali fiquei, num varal dependurado
contigo por um fio, suspenso o tempo
um minuto sonho-bolha delicado
ligado àquela esperança desatada

(de tão vã de não ver
a chegar e a romper

dolorida a manhã).

08/01/2002

quinta-feira, 28 de julho de 2016

ANTES DE MORDÊ-LA

Me queixo

de beijos

no queixo:

- do queijo

que deixas

fateixa

abaixo

do encaixo

da boca.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

QUADRA GOLPISTA XX

qualidades do golpe

Cínico

clínico

cíclico?

Lépido

tépido

trépido?

Protuso

contuso

confuso?

Unido

nutrido

pútrido?

...

Difuso

ocluso

diviso

- concluso?

QUADRA GOLPISTA XIX

lugar de fala

Nesta quadra crepuscular
como testemunha ocular

de um golpe cínico e vulgar
contra o devir deste lugar

cabe-me testemunhar

(seu movimento pendular)

[da perspectiva popular].

segunda-feira, 25 de julho de 2016

QUADRA GOLPISTA XVIII

nas coxas

Eu idiotizo
imbecilizo

me cretinizo
porque agonizo?

Eu infernizo:

- me politizo
e socializo.

[se perco o juízo
e boto um guizo

pelo prejuízo
deste granizo

no contrapiso
do paraíso (?)

eu envernizo]

domingo, 24 de julho de 2016

NO BEIRUTE

Asa Norte

Que cerveja
quer que eu peça

percevejo
tonto à beça?

Sejam brahmas
de bohemias

mexicanas
ou árticas

(antarcticas
poderias)

que ultrapassem
a caleça

deste impasse
sem cabeça:

- kibeirutes
vêm depressa!...

HÍBRIDO

exercício

Na caminhada de hoje

levarei um alforje
por onde talvez forje

- qual mulôji mulóji

sacrifício, caborje
deste lombo de loje

- e o meu tempo reloje.

sábado, 23 de julho de 2016

sexta-feira, 22 de julho de 2016

QUADRA GOLPISTA XVI

da segurança olímpica

A bulha
do pulha

(do grulha
patrulha)

fagulha
borbulhas

entulha
cambulhas...

[trafulha
mergulha

agulhas
em tulhas]

quinta-feira, 21 de julho de 2016

NUMA PRAÇA TROPICAL

pausa

Piróbolo (o)

monótono
discóbolo

do dia só
de paletó

(sem o óbolo
de um dominó

com os avôs)

SOBREVIVENCIAL

a partir de um aviso da máquina

Não há conexão com a internet.

Seu computador está off-line.

1. Tente verificar

(ao invés do cabo de rede
ou do roteador inclemente)

o que tal infraestrutura ressente.

2. Tente redefinir

(ao invés do modem ausente
ou do roteador novamente)

a qual superestrutura pertence.

3. Tente conectar-se

(ao invés do mesmo Wi-Fi tão-somente)

a redes que outros modos apresentem.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

REVISITA 144: RECOMEÇO

Ô fênix depenada
de tanta estrada errada
torça o teu pescoço
cavo parafuso
oco

assim: - craack!

(letárgica ...

... sereníssima)

[importa recomeçar
não importa a vértebra]

25/12/2001

terça-feira, 19 de julho de 2016

ESCOLA PRIVADA

genética

A acumulação
pela educação

por uma educação
para a acumulação.

Nas salas de espelhos
bengalas, conselhos

consultando os evangelhos
cultivando escaravelhos

vivemos nos perguntando
raro capitalizando:

- é possível educá-la
(tal empulhação)

passível de edulcorá-la
(a acumulação)?

...

[tentamos há anos
com perdas e danos

paralelamente aos ganhos
do processo sucedâneo]

segunda-feira, 18 de julho de 2016

QUADRA GOLPISTA XV

refluxo

Estranho

tamanho

rebanho

tacanho!

Qual ganho

ricanho

tal anho

gadanho?

Acanho

de um banho

do estanho

de antanho?

Quamanho

desmanho

peganho

apanho!...

domingo, 17 de julho de 2016

sábado, 16 de julho de 2016

ELUCIDATIVA

A mão no pescoço
quando ela era moça

se dava no roço
da vossa então nossa!...

Agora não posso
dizer que alvoroça

pois se faz colosso
de um osso que almoça.

Afora da fossa
sou todo um esboço

de fundo de poça
um perro molosso;

a troça destroço
saindo mais grossa

do caroço insosso
caído que endossa...

sexta-feira, 15 de julho de 2016

SEXTILHA VAZIA

O branco da mente
é branco somente.

(se cala, consente
a tranca que sente)

[se fala, convence
a mente somente]

quinta-feira, 14 de julho de 2016

QUADRA GOLPISTA XIII

expectativa

O normal
do formol

sob o sol
de um pós-sal:

- conservar

o doutor
o pastor
o feitor
o trator;

o temor
diretor;

o fedor
deste andor.

- conversar

esse odor
do bolor;

o dispor
de um temor
(seu autor
e mentor);

o edital
do graal.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

ATMOSFERA

contemporânea

Na arquitetura
desta cultura

- de engenharias
em demasia

sem nostalgia
de sua ousadia -

dobram larguras
pobre a subida;

falta ternura
sob as mesuras

falsa a parida
subentendida;

sobram funduras
sobre amarguras

conjecturas
ortografias...

...

Salta a costura

(dada a gordura
sem ossatura)

tal a criatura!

...

A economia
de tais posturas

na hipocrisia
de sua moldura

dá-se à medida

da impostura
da infantaria

que as noticia
e então opina

(da companhia):

- à sua procura
cultura havia!...

terça-feira, 12 de julho de 2016

A CAMINHADA DA CASA

a Gaston Bachelard

O pensamento
do tempo

no sentimento
do espaço

é movimento
do paço:

- no passo

que ultrapassado

é já passado.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

ÀS DEZENAS

Saindo do seu camarim
aos olhos deste planeta

da esquerda para a direita
num ângulo de setenta

o sol desfila sobre mim
como nos anos oitenta

talvez o invernal carmesim
da década de noventa...

O sol - porque caminha assim

me aproxima dos sessenta

sem que maior medo eu tenha
de repisar meus mocassins

senão para mais à esquerda
num chão de esperanças afins

no auge da estação da perda
de lembranças pelos jardins.

DA ÉTICA DO MARCENEIRO

a Cláudio Abramo

É claro

que o fato

aclaro.

Se raro

relato

que é caro.

Encaro

se é mato

que aparo.

Se avaro

o amaro

retrato.

Se é varo

reparo:

mas paro

e amparo

(o tato

do faro).

Se é trato

afasto

sensato.

Se a jato

disparo

contatos.

Se é grato

recato

preclaro;

declaro

se ingrato

que saro.

Se um prato

o olfato

preparo.

Se ornato

contrato

barato.

domingo, 10 de julho de 2016

SOB UM CÉU DE BRIGADEIRO

Depois do café
(e do banheiro)

dois na rua a pé
de corpo inteiro

- um de boné
outra com fé -

pela saúde
como virtude

do companheiro.

sábado, 9 de julho de 2016

sexta-feira, 8 de julho de 2016

ARTISTA

ao meu amor, no seu exame final

Gastróloga

gastrologista;

gastrônoma

culinarista:

- astronômica

a Vandecira

gastronômica

teve o seu dia!...

QUADRA GOLPISTA XII

níveis/objetivos da programação

...

(lá vem a 'escola sem partido'

para filhos disciplinados

por uns tios descerebrados)

...

[vem a escola sem partido

pelo homogêneo sentido

das coisas sob o fascismo]

...

{a escola dos 'partidos':

- de tipos alienados

num mundo reificado}